Warning: Declaration of wp_option_choose_color_scheme::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/choose-color-scheme.php on line 39

Warning: Use of undefined constant wp_cumulus_widget - assumed 'wp_cumulus_widget' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/plugins/wp-cumulus/wp-cumulus.php on line 375
IA « Blog Marcos L. Mucheroni Filosofia, Noosfera e cibercultura
RSS
 

Arquivo para a ‘IA’ Categoria

[:pt]2020: quais previsões para TI[:en]2020: IT predictions[:]

21 jan

[:pt]São famosas e históricas as previsões na década de 70 pelos presidentes da Digital Equipments e IBM que os computadores pessoais não se tornariam realidade, mas no início de 80 já eram.

A conceituada revista Wired dizia naquela época que eles aconteceriam, mas seriam primeiro adotados nas empresas e depois nas famílias, aconteceu o inverso.

As previsões da revista para a tradução simultânea eram para 2015, elas aconteceram em 2017 mas ainda existem reclamações de sua eficácia, a aposta nos carros com hidrogênio eram para o ano 2010, o que está se tornando realidade são os carros elétricos, lentamente por causa do mercado é verdade, mas também a tecnologia das baterias e autonomia dos caros ainda evolui.

Cinco tecnologias poderão entretanto mudar o mercado em 2020: 5G poderá entrar definitivamente no mercado mudando os negócios das operadoras de smartphones, multiclouds como evolução do armazenamento em nuvem será uma evolução das nuvens atuais, AI, em especial, Machine Learning entrará nas empresas e nos negócios dando impulsos a TI atual, e, finalmente muitas possibilidades de mobilidade podem mudar, com a evolução da IoT.[:en]

It is famous and historical predictions in the 70s by the presidents of Digital Equipments and IBM that personal computers would not come true, but in the early 80s they were. 
The renowned Wired magazine said at that time that they would 
happen, but would be first adopted in companies and then in 
families, the reverse happened. T
he magazine's predictions for simultaneous translation were 
for 2015, they happened in 2017 but there are still complaints 
about its effectiveness, the bet on hydrogen cars was for 2010,
which is becoming reality are electric cars, slowly because of 
the market it is true, but also the technology of batteries and autonomy of the expensive ones still evolves. 
Five technologies may meanwhile change the market in 2020: 5G may definitely enter the market changing the business of smartphone operators , multiclouds as evolution of cloud storage will be an evolution of current clouds, AI in particular, Ma chine Learning will enter companies and businesses giving impetus to current IT.
And, finally, many possibilities of mobility can change, with the evolution of IoT.

[:]

 

[:pt]Quatro buzzwords de TI para 2020[:en]Four IT buzzwords for 2020[:]

20 jan

[:pt]Algumas palavras já vem sendo usadas de maneira excessiva e equivocada, pode-se citar tecnologias disruptivas vistas como qualquer uma que tenha impacto no mercado, quando o problema é a escala de produção e consumo, os data lakes, usado para armazenar dados brutos que não significam que são ou podem ser tratados com facilidade (há ambientes e ferramentas específicas para isto), e, o terceiro termo que não é novo também é DevOps que é a rápida implantação de códigos com facilidades de retirar e corrigir possíveis bugs (erros no código).
As quatro buzzwords que devem crescer em 2020 e que representam um perigo tanto no seu uso quanto na implantação são BigData (sim já existia em 2019 mas sua expansão é indicada como um grande volume para 2020), IA idem a anterior, Agile que significa a rapidez de mudança de mercado e de estratégia das empresas, se mal utilizada serão um fracasso e por fim e não menos essencial, e por último, aquilo que resolveu-se chamar de “transformação digital”.
Comecemos pelo último que engloba os anteriores, inclusive os 3 excluídos da análise, transformação digital não significa necessariamente que “tudo agora muda com os processos digitais”, e é claro não significa que nada muda, conforme a área o impacto, a disrupção (no sentido de escala) é claro que o impacto poderá e deverá acontecer, mas cuidado com o Agile.
Agile é o processo de responder rapidamente as mudanças, mas a resposta não significa ser responsivo em qualquer situação, a grande maioria merece análise tais como situações transitórias de mercado, processos sazonais, resposta a concorrência e em especial, mudanças de “moda”.
IA pode ser uma resposta a muitos negócios, mas o próprio termo “inteligência” é questionado, na verdade é um pouco de cada processo anterior, incluindo bigData, Agile e Data lakes, isto é, deve haver ferramentas do tipo Analytics e Machine Learning (foto) que auxiliem o processo.
A Gartner detectou um aumento de 25% para 37% de 2018 para 2019 no uso de IA para negócios, porém a eficácia não é garantida, assim como apenas o uso de TI não significa a modernização da empresa.[:en]Some words have already been used in an excessive and mistaken way, we can mention disruptive technologies seen as any that have an impact on the market, when the problem is the scale of production and consumption, the data lakes, used to store raw data that do not they mean they are or can be handled easily (there are specific environments and tools for this), and the third term that is not new is also DevOps, which is the rapid implementation of codes with facilities to remove and correct possible bugs (errors in the code ).

The four buzzwords that are expected to grow in 2020 and which represent a danger both in their use and in their implementation are BigData (yes it already existed in 2019 but its expansion is indicated as a large volume for 2020), AI ditto the previous one, Agile which means the rapid market change and corporate strategy, if misused will be a failure and ultimately and no less essential, and lastly, what has been called a “digital transformation”.

Let’s start with the last one, which includes the previous ones, including the 3 excluded from the analysis, digital transformation does not necessarily mean that “everything now changes with digital processes”, and of course it does not mean that nothing changes, depending on the area, the impact, the disruption (in the scale) it is clear that the impact can and should happen, but be careful with Agile.

Agile is the process of responding quickly to changes, but the answer does not mean being responsive in any situation, the vast majority deserve analysis such as transient market situations, seasonal processes, response to competition and in particular, changes in “fashion”.

AI can be a response to many businesses, but the term “intelligence” itself is questioned, in fact it is a bit of each previous process, including bigData, Agile and Data lakes, that is, there must be tools like Analytics and Machine Learning that assist the process.

Gartner detected an increase from 25% to 37% from 2018 to 2019 in the use of AI for business, but the effectiveness is not guaranteed, just as only the use of IT does not mean the modernization of the company.[:]

 

[:pt]Inteligência humana além da artificial[:en]Human intelligence beyond artificial intelligence. [:]

15 jul

[:pt]Até muito recentemente acreditava-se que um determinado tipo de inteligência era preponderando a outros, o famoso teste de QI, por exemplo, determinava a inteligência de uma pessoa em números, o que caiu um pouco em descrédito, depois veio a fase da inteligência emocional, ela existe porque estamos em tempo de stress.
Com os avanços da inteligência artificial, apressadamente se discute nem sempre com critérios razoáveis, os avanços da inteligência artificial e o ponto de singularidade, ponto no qual as máquinas ultrapassarão em Inteligência o homem, mas o que é essa tal inteligência, pouco se responde, os especialistas dão respostas prontas, mas …
Devido a fatores conjunturais, sociais e culturais desenvolve-se um tipo de inteligência que é a lógica, capacidade de memória e grande talento para lidar com a matemática e lógica em geral, pode-se encontrar solução de problemas complexos, dizem os neurocientistas que ela está fortemente ligada ao lado direito do cérebro.
O segundo tipo é a inteligência motora, artistas e esportivas desenvolvem grandes talentos com uma expressão corporal e noção de espaço, distância e profundidade muito aguçadas, podem realizar movimentos complexos, graciosos e aguçados, como o nome diz está relacionada a capacidade motora.
Pessoas com boa capacidade de expressão escrita e oral tem um tipo de inteligência chamada de linguística, além da expressão tem um grau de atenção e sensibilidade para atender aos pontos de vistas alheios, é visível sua utilidade no mundo atual.
Pessoas com grande capacidade de imaginar e desenhar tanto no 2D como no 3D possuem um enorme talento para a arte gráfica, é a inteligência espacial, assim como a inteligência linguística tem grande sensibilidade e criatividade, porem seu universo é próprio e a interação com os demais se faz justamente por sua visão espacial.
A inteligência musical é aquela que nos faz enxergar pelos “sons”, são pessoas com uma grande facilidade para escutar músicas ou sons em geral e identificar diferentes padrões e notas musicais.
Dois tipos pouco comuns são as inteligências intra e interpessoal, sendo as estatísticas elas são as mais raras entre as pessoas e no entanto as mais próximos de nosso “ser”, a inteligência intrapessoal tem uma enorme facilidade para entender o que as pessoas pensam, sentem e desejam, enquanto a intra tem uma forte componente de “liderança” pois são pessoas capazes de causar grande admiração nos outros, e com inteligência especial ativa mobilizam e consegue se colocar em ação e colocar os outros para acompanha-la.
Claro isto é tão esquemático quanto outras classificações, mas é justamente pelo esquema que se pensa que a inteligência artificial poderia estar relacionada a isto, na verdade a inteligência humana é bem complexa enquanto a artificial é bem esquemática, mesmo sendo um esquema complexo.
O TED de Daniel Levitin já ultrapassou 14 milhões de vistas, e tem um ponto de vista interessante de um neurocientista:
https://www.ted.com/talks/daniel_levitin_how_to_stay_calm_when_you_know_you_ll_be_stressed#t-2216[:en]Until very recently it was believed that a certain type of intelligence was preponderating to others, the famous IQ test, for example, determined the intelligence of a person in numbers, which fell a bit into disrepute, then came the phase of emotional intelligence , it exists because we are in time of stress.
With the advances of artificial intelligence, the advances of artificial intelligence and the point of singularity, at which point machines will go beyond Intelligence in man, but what is this intelligence, is little questioned, the specialists give answers ready, but …
Due to conjunctural, social and cultural factors, a type of intelligence is developed that is logic, memory capacity and great talent to deal with mathematics and logic in general, one can find solution of complex problems, say the neuroscientists that she is strongly attached to the right side of the brain.
The second type is motor intelligence, artists and athletes develop great talents with a body expression and notion of space, distance and depth very sharp, can perform complex, graceful and sharp movements, as the name says is related to motor ability.
People with good written and oral ability have a type of intelligence called linguistics, in addition to the expression has a degree of attention and sensitivity to meet the views of others, is visible its usefulness in today’s world.
People with great ability to imagine and draw both in 2D and 3D have a great talent for graphic art, it is space intelligence, just as linguistic intelligence has great sensitivity and creativity, but its universe is itself and the interaction with others is done precisely by his spatial vision.
Musical intelligence is one that makes us see through the “sounds”, are people with a great facility to listen to music or sounds in general and identify different patterns and musical notes.
Two types uncommon are intra and interpersonal intelligences, and statistics are the rarest among people and yet the closest to our “being,” intrapersonal intelligence has an enormous facility to understand what people think, feel and desire, while the intra has a strong component of “leadership” because they are people capable of causing great admiration in others, and with special active intelligence mobilize and get to take action and put others to accompany it.
Of course this is as schematic as other classifications, but it is precisely by the scheme that artificial intelligence is thought to be related to this, in fact human intelligence is quite complex while the artificial one is very schematic, even though it is a complex scheme.
The TED by Daniel Levitin has already surpassed 14 million views, and has an interesting point of view of a neuroscientist:
https://www.ted.com/talks/daniel_levitin_how_to_stay_calm_when_you_know_you_ll_be_stressed#t-2216[:]

 

[:pt]Wikipedia e Inteligência Artificial[:en]Wikipedia and Artificial Intelligence[:]

24 out

[:pt]Tendo já quase superada a questão do ponto de singularidade (ver nosso post), o ponto que a máquina ultrapassaria a inteligência humana, a questão se volta agora para a consciência e um ponto bastante abordado é a questão da consciência.

Neste sentido a crítica principal é a perpetuação de preconceitos, o que evitaria o que chamo de hermenêutica, mas é uma visão incorreta da evolução da tecnologia digital, por exemplo, o uso de Ontologias Digitais e a capacidade de buscar estudos científicos fora do Wikipedia.

É o que anunciou recentemente um artigo do The Verge, e a omissão mais grave depois de pesquisar cientistas que são omitidos no Wikipedia, foi observar que 82% das biografias escritas são sobre homens.

Em um post no seu blog, conforme o site The Verge, John Bohannon, diretor da ciência da Primer, explica o desenvolvimento da ferramenta Quicksilver para ler 500 milhões de documentos originais, peneirar os números mais citados e depois escrever um artigo básico sobre o trabalho destes cientistas não citados no Wikipedia.

Dois exemplos de mulheres ilustres encontradas e para as quais foram escritas artigos em AI são o de Teresa Woodruff, uma cientista que projetou ovários para ratos com uso de impressoras 3D, foi citada pela revista Time em 2013, com uma das pessoas mais influentes no mundo científico, e outro caso é o de Jessica Wade, uma física do Imperial College London, que escreveu a nova entrada de Pineau.

Wade foi uma das cientistas que afirmou para a “Wikipedia é incrivelmente tendencioso, e a sub-representação das mulheres na ciência é particularmente ruim”, e elogiou o Quicksilver afirmando que com ele você pode encontrar rapidamente grande quantidade de informações muito rapidamente.

A Wikipedia terá que evoluir com ferramenta de Machine Learning, isto poderá acontecer nos próximos anos, o fato que existem ferramentas específicas para isto não invalida o Wikipedia, mostra que tem pontos fracos e devem ser corrigidos. [:en]Having already almost surpassed the point of singularity (see our post), the point that the machine would surpass human intelligence, the question now turns to consciousness and a well-considered point is the question of consciousness.
In this sense the main criticism is the perpetuation of prejudices, which would avoid what I call hermeneutics, but it is an incorrect view of the evolution of digital technology, for example, the use of Digital Ontologies and the ability to seek scientific studies outside of Wikipedia.
This is what recently announced an article in The Verge, and the most serious omission after researching scientists who are omitted from Wikipedia, was to note that 82% of written biographies are about men.
In a blog post, according to The Verge website, John Bohannon, director of science at Primer, explains the development of Quicksilver tool to read 500 million original documents, sift through the most cited numbers and then write a basic article about the work of these scientists not mentioned in Wikipedia.
Two examples of illustrious women found and written for AI are Teresa Woodruff, a scientist who designed mice ovaries using 3D printers, was cited by Time magazine in 2013 with one of the most influential people in the world scientist, and the other case is that of Jessica Wade, a physicist at Imperial College London, who wrote the new entry for Pineau.
Wade was one of the scientists who said “Wikipedia is incredibly tantalizing, and the underrepresentation of women in science is particularly bad,” and praised Quicksilver stating that with it you can quickly find large amounts of information very quickly.
Wikipedia will have to evolve with Machine Learning tool, this may happen in the coming years, the fact that there are specific tools for this does not invalidate Wikipedia, shows that it has weaknesses and should be corrected[:]

 

[:pt]O futuro e nossa vida em 2100[:en]The future and our life in 2100 [:]

10 out

[:pt]Já escrevemos alguns posts sobre Michio Kaku, sobre algumas de suas especulações em torno da física, agora queremos dar com um ele um salto no futuro, diferente daquilo que fazem os tecnoprofetas (nome dado por Jean Gabriel Ganascia aos criadores de mitos tecnológicos), Kaku especula usando a física e sendo otimista.

Escreve: “em 2100, nosso destino é de se tornar como os deuses que outrora adorávamos e temíamos. Mas nossas ferramentas não serão como varinhas mágicas e poções, mas a ciência dos computadores, a nanotecnologia, inteligência artificial, biotecnologia e acima de tudo, a teoria quântica, que é a base das tecnologias anteriores.” (KAKU, 2011),

Se posicionamento como um físico quântico, o termo é impróprio mas diria teórico, ele pergunta: “Mas onde está toda essa mudança tecnológica líder? Onde está o destino final desta longa viagem em ciência e tecnologia?”, sua resposta é surpreendente.

Responde de forma sociológica: “o ponto culminante de todos estes transtornos é a formação de uma civilização planetária, o que os físicos chamam de Tipo I civilização”, não surpreendente para quem faz a ligação de toda mecânica newtoniana com a lógica que dura até nossos dias para o direito, as ideias económicas e as teorias do estado.

E avança: “a menos que sucumbirmos às forças do caos e da loucura, a transição para uma civilização planetária é inevitável, o produto final da enorme, inexorável força da história e tecnologia para além de qualquer controle.”

Futuristas já previam o escritório sem papel, porém o caos burocrático faz o papel ainda ser gasto desmesuradamente, o trabalho em casa ainda não é realidade, mas poderá ser.

Também os cybershoppers de compras online, os cyberstudents tornando obsoletas as salas de aulas, e muitas universidades iriam fechar por falta de interesse dos jovens.

O que vemos é cyberclassrooms proliferando e as universidades ainda registram número recorde de alunos, professores que fazem sucesso dando palestras sobre filosofia, física e aparatos tecnológicos, quebra-cabeças gigantes de mídia tentam manipular a cabeça das pessoas, mas “as luzes da Broadway brilham ainda tão intensamente quanto antes”.

Mas a tecnologia continua sendo combatida como um dos “males de nosso tempo”, e segundo Kaku o ponto é: “sempre que houver conflito entre tecnologia moderna e os desejos dos nossos ancestrais primitivos, esses desejos primitivos ganham cada vez mais.” E conclui: “esse é o princípio homem das cavernas”.

Kaku conta uma história parecida aos dias de hoje, assistiu um filme que mudou sua vida era o “Planeta Proibido”, com base na peça de Shakespeare: “A tempestade”, no filme astronautas encontram uma civilização antiga, mas milhões de anos a nossa frente.

A descoberta da Caverna de Chauvet no sul da França, onde redescobrimos o homem primitivo capaz de uma arte e uma subjetividade comparável ao nosso tempo, não é senão a ideia deste Homem das Cavernas que subsiste em nós e insiste em não ir ao futuro.

O livro não termina ai, sua crença no futuro é forte e resiliente, mas uma frase de Schopenhauer traduz bem sua visão:  pessoalmente acrescentaria mas os limites são maiores que nossa visão.

 

KAKU, M. Física do Futuro: como a ciência irá transformar nossa vida diária, no ano de 2100. 2011. [:en]We have written a few posts about Michio Kaku, about some of his speculations about physics, now we want to give him a jump in the future, different from what the technoprofetas do (the name given by Jean Gabriel Ganascia to the creators of technological myths), Kaku speculates using physics and being optimistic.

He writes: “In 2100 our destiny is to become like the gods we once worshiped and feared. But our tools will not be like magic wands and potions, but computer science, nanotechnology, artificial intelligence, biotechnology and, above all, quantum theory, which is the basis of earlier technologies. “(Kaku, 2011)

If positioning as a quantum physicist, the term is inappropriate but would say theoretical, he asks: “But where is all this leading technological change? Where is the final destination of this long journey in science and technology? “.

His answer is surprising. It responds in a sociological way: “the culmination of all these disorders is the formation of a planetary civilization, what physicists call Type I civilization,”

Not surprising to those who connect all Newtonian mechanics with the logic that lasts until our days to the right, economic ideas and theories of the state.

And he goes on: “Unless we succumb to the forces of chaos and madness, the transition to a planetary civilization is inevitable, the end product of the enormous, inexorable force of history and technology beyond any control.”

Futurists already anticipated the office without paper, but the bureaucratic chaos makes the paper still to be spent exorbitantly, the work at home is not yet reality, but it could be.

Also the online shopping cybershoppers, cyberstudents making classrooms obsolete, and many universities would close due to lack of interest from young people.

What we see is proliferating cyberclassrooms and universities still record record numbers of students, professors who successfully give lectures on philosophy, physics and technological gadgets, giant media puzzles try to manipulate people’s heads, but “the lights of Broadway shine still as intensely as before. ”

But technology continues to be fought as one of the “evils of our time,” and according to Kaku the point is: “Whenever there is conflict between modern technology and the desires of our primitive ancestors, these primitive desires gain more and more.” : “This is the cave man principle”.

Kaku tells a story similar to today, watched a movie that changed his life was the “Forbidden Planet,” based on Shakespeare’s play “The Storm” in the movie astronauts find an ancient civilization but millions of years our front.

The discovery of the Chauvet Cave in southern France, where we rediscover primitive man capable of an art and a subjectivity comparable to our time, is nothing more than the idea of ​​this Cave Man who subsists in us and insists on not going to the future.

The book does not end there, his belief in the future is strong and resilient, but one sentence of Schopenhauer translates well his vision: “Each one limit the world’s limits in his vision,” personally he would add but the limits are greater than our vision.

 

Kaku, M. (2011) Physics of the futuro: how science will shape human Destiny and our daily lives by the year 2100. [:]

 

[:pt]Projeto avançado Deep Mind[:en]Deep Mind Advanced Project[:]

20 set

[:pt]Projetos que tentavam simular sinapses cerebrais, a comunicação entre neurónios, foram anteriormente chamados de redes neurais ou neuronais, e tiveram um grande desenvolvimento e aplicações.

Aos poucos estes projetos foram se deslocando para estudos da mente e o código foi sendo dirigido para Machine Learning (Aprendizado por máquina) que agora usando redes neurais passou a ser chamado deep learning, um projeto avançado é o Google Brain.

Basicamente é um sistema para a criação e treinamento de redes neurais que detectam e decifram padrões e correlações em sistemas aplicados, embora análogo, apenas imitam a forma coo os humanos aprendem e raciocinam sobre determinados padrões.

O Deep Learning é um ramo da Machine Learning que opera um conjunto de algoritmos usado para modelar dados em um grafo profundo (redes complexas) com várias camadas de processamento, e que diferente do treinamento de redes neurais, operam com padrões tanto lineares como não lineares.  

Uma plataforma que trabalha com este conceito é a Tensor Flow, originada de um projeto anterior chamado DistBelief, agora é um sistema de código aberto, lançado pela equipe da Apache 2.0, em novembro de 2015, o Google Brain usa esta plataforma.

Em maio de 2016, a Google anunciava para este sistema a TPU (Tensor Processing Unit), um acelerador de programas de inteligência artificial programável com habilidade de alta taxa de transferência para a aritmética de baixa precisão (8 bts), que executa modelos e não mais treina como faziam as redes neurais, inicia-se uma etapa da Deep Compute Engine.

O segundo passo deste processo no Google Compute Engine, a segunda geração de TPUs alcança até 180 teraflops (10^12 números reais) de desempenho, e montados em clusters de 64 TPUs, chegam a trabalhar até 11.5 petaflops.[:en]Projects that attempted to simulate brain synapses, communication between neurons, were formerly called neural or neural networks, and had a large development and applications.
Gradually these projects were moving to studies of the mind and the code was being directed to Machine Learning that now using neural networks happened to be called deep learning, an advanced project is Google Brain.
Basically it is a system for the creation and training of neural networks that detect and decipher patterns and correlations in applied systems, although analogous, only imitate the way humans learn and reason about certain patterns.
Deep Learning is a branch of Machine Learning that operates a set of algorithms used to model data in a deep graph (complex networks) with several layers of processing, and that, unlike the training of neural networks, operate with both linear and non-linear patterns .
One platform that works with this concept is Tensor Flow, originated from an earlier project called DistBelief, is now an open source system, released by the Apache 2.0 team in November 2015, Google Brain uses this platform.
In May 2016, Google announced to this system the TPU (Tensor Processing Unit), a programmable artificial intelligence program accelerator with high transfer rate ability for low precision arithmetic (8 bts), which runs models and does not more training as neural networks did, a Deep Compute Engine stage begins.
The second step of this process in Google Compute Engine, the second generation of TPUs achieves up to 180 teraflops (10 ^ 12 floating point operations), and mounted in clusters of 64 TPUs, work up to 11.5 petaflops. [:]

 

[:pt]Porque a Inteligência artificial emergiu?[:en]Why did artificial intelligence emerge?[:]

22 ago

[:pt]O longo caminho percorrido pela Inteligência Artificial inclui a construção de linguagens como Lisp, Prolog, Haskel, mas atualmente emergiram ambientes como DialogFlow, Watson e
O Final do século 20 havia uma grande crise na IA (sigla para inteligência Artificial), mas a emergência de pesquisadores em Web Semântica retomou estudo e aos poucos, assuntos como IoT (internet das Coisas), Linguagem Natural e Machine Learning (não há uma tradução, mas poderíamos dizer aprendizagem por Máquina) emergiram.
O fato que assusta alguns está ligado ao conceito que se tem de “inteligência” e de “mente”.
Esta emergência despertou as cinco maiores companhias de tecnologia do mundo : Apple, Microsoft, Google, Amazon, e Facebook, que passaram a investir em inteligentes capazes de conversar com humanos.
Agora já 28% dos consumidores nos Estados Unidos atualmente usam algum assistente virtual, esses aparelhos que integram a tecnologia IA de um assistente de voz com um produto de casa comum tem tido grande sucesso, tais como Alexa, Echo e Google Home, mas o aumento de vendas para 39% anuais foram comemorados pelas empresas.
Em empresas a preocupação com a privacidade, a operação é feita usando armazenamento em nuvens, empresas com assistentes de som usam medidas diferentes para proteger as informações pessoais de seus consumidores, mas sabem que existem falhas nessas defesas.
O áudio enviado para a Google e Amazon é criptografado antes de ser transmitido, deixando a troca de dados supostamente segura, mas a base de dados pessoas precisa ser acessada para que a máquina vá “desenvolvendo” sua capacidade de aprendizagem.
Recentemente um pesquisador inglês da área de segurança da informação demonstrou que é possível transformar um Echo fabricado antes de 2017 em um instrumento de gravação perpetua cujo áudio pode ser transmitido a um local remoto, sem que o usuário saiba.
Para se proteger de hackers, uma boa prática é acessar sua conta e apagar o histórico de interações com os serviços periodicamente, mas resta saber se não foi hackeada neste período.
Já o Siri da Apple, ao invés de associar a gravação com a conta de usuário, ele associa a coleta da interação com você com uma série de números aleatórios.
Com ou sem segurança, este mercado cresceu e as empresas estão de olho, já é irreversível.[:en]The long road covered by Artificial Intelligence includes the construction of languages such as Lisp, Prolog, Haskel, but environments like DialogFlow, Watson, and
At the end of the 20th century there was a major crisis in AI, but the emergence of researchers in the Semantic Web resumed study and gradually, subjects like IoT (Internet of Things), Natural Language and Machine Learning (there is no translation, but we could say learning by Machine) emerged.
The fact that scares some is linked to the concept of “intelligence” and “mind.”
This emergency has awakened the five largest technology companies in the world: Apple, Microsoft, Google, Amazon, and Facebook, which have started investing in smart people who can talk to humans.
Now 28% of consumers in the United States currently use some virtual assistant, these devices that integrate the AI technology of a voice assistant with a common home product has had great success, such as Alexa, Echo and Google Home, but the increase of sales to 39% annually were celebrated by companies.
In companies the concern for privacy, the operation is done using cloud storage, companies with sound assistants use different measures to protect the personal information of their consumers, but know that there are flaws in these defenses.
The audio sent to Google and Amazon is encrypted before being transmitted, leaving the data exchange supposedly safe, but the people database needs to be accessed in order for the machine to “develop” its learning ability.
Recently a researcher in the field of information security has demonstrated that it is possible to transform an Echo manufactured before 2017 into a perpetual recording instrument whose audio can be transmitted to a remote location without the user knowing.
To protect yourself from hackers, a good practice is to access your account and erase history of interactions with the services from time to time, but it remains to be seen if it has not been hacked in this period.
Apple’s Siri, instead of associating the recording with the user account, associates the collection of the interaction with you with a series of random numbers.
With or without security, this market has grown and companies are watching, it is irreversible.[:]

 

[:pt]A falácia da competição de assistentes[:en]The fallacy of the assistant competition [:]

14 ago

[:pt]Assistentes tem papéis diferentes, e em muitos casos podem se integrar e trabalhar cooperativamente, é o que vem acontecendo desde maior entre a Cortana, assistente da Microsoft e o Alexa da Amazon, pela simples razão que trabalham em mercados diferentes e ambos podem ganhar com esta integração, desde maio há uma versão beta.

Ambos “ficam atrás” do Google Assistant, mas novamente ele tem uma função diferente como trabalha com “bancos de dados da Web”, o Google é um motor de busca, trabalha numa base maior, porém isto pode significar mais erros e mais induções ao erro, pois a “base é maior” e sabemos, nem sempre confiável.

Comando como pedir ao Alexa que abra o Cortana e trabalhe com ela, já está disponível, além de perguntar também pode solicitar tarefas como “enviar um e-mail” ou abrir um aplicativo, que são ótimos exemplos de diferente do Google Now, por exemplo.

Assim tanto se pode trazer o Alexa para dentro da interface Cortana no Windows 10 e ter as ´-habilidades do Alexa, como embutir no Alexa o Cortana e passar a usá-lo com habilidades do Windows o que diminui tarefas de digitação e interação com aplicativos.

O trabalho de integração entre Microsoft e a Amazon, que já disponibilizaram uma versão beta (de teste), mas nenhuma empresa se compromete ainda a dizer quando os usuários finais poderão habilitar e finalmente usar as funcionalidades desta integração permanece em suspense, mas você pode acompanhar ao vivo em um site se cadastrando num site da Microsoft.[:en]Wizards have different roles, and in many cases can integrate and work cooperatively, is what has been happening since greater between Cortana, Microsoft’s assistant and Amazon’s Alexa, for the simple reason that they work in different markets and both can win with this since May there is a beta version.

Both are “behind” Google Assistant, but again it has a different function as it works with “Web databases”, Google is a search engine, it works on a larger basis, but this can mean more errors and more inductions to Google. mistake, because the “base is bigger” and we know, not always reliable.

Command like asking Alexa to open Cortana and work with her, is already available, and ask can also ask for tasks like “send an email” or open an application, which are great examples of different from Google Now, for example .

So much you can bring Alexa into the interface Cortana in Windows 10 and have the ‘abilities of Alexa, how to embed in the Cortana Alexa and use it with Windows skills which reduces typing tasks and interaction with applications .

The integration work between Microsoft and Amazon, which have already released a beta (test), but no company is still committed to say when end users will be able to enable and finally use the features of this integration remains in suspense, but you can follow live on a website if registering on a Microsoft website.[:]

 

[:pt]Uso de Inteligência Artificial na educação[:en]The use of artificial intelligence for education [:]

31 jul

[:pt]Segundo o relatório do grupo  editorial britânico Pearson   a Inteligência Artificial vai impactar positivamente o ensino nos próximos anos, diz o texto: “Imagine companheiros de aprendizagem ao longo da vida alimentados por Inteligência Artificial que possam acompanhar e apoiar estudantes ao longo de seus estudos – – dentro e fora da escola – ou novas formas de avaliação que medem a aprendizagem enquanto ela está a decorrer, moldando a experiência de aprendizagem em tempo real”.

Os que tem reticências e até mesmo oposição ao ensino com auxílio de IA argumenta que automatiza e individualiza o processo de aprendizagem, e a educação não seria assim, porém há muitas razões para defender esta nova ferramenta de apoio nas aulas.

A favor, a utilização destas ferramentas permitirá aos professores a avaliação do desempenho e a supervisão da aprendizagem de cada estudante, de forma individualizada, mas isto significa que dará mais atenção as fragilidades, e usando métodos estatísticos, agir e corrigir de forma mais rápida estas fragilidades.

Já quanto ao dispositivo, além do treinamento que assistentes pessoais tipo Alexa despertam, a aprendizagem de cada estudante permite pela acumulação de dados dar ao docente uma visão mais precisa do aluno no espaço virtual que ajude à evolução intelectual do aluno.

O questionamento e as discussões deverão se alargar até que a machine learning já esteja tão evoluída que sua presença no processo educacional seja irreversível.[:en]According to the report by the British publishing group Pearson, Artificial Intelligence will positively impact teaching in the coming years, says the text: “Imagine lifelong learning partners fueled by Artificial Intelligence that can accompany and support students throughout their studies – in and out of school – or new forms of assessment that measure learning while it is ongoing, shaping the learning experience in real time. ”

Those who are reluctant and even opposed to AI teaching argue that it automates and individualizes the learning process, and education would not be so, but there are many reasons to advocate this new support tool in class. In favor of using these tools, teachers will be able to evaluate the performance and supervision of each student’s learning in an individualized way, but this means that they will pay more attention to the weaknesses and, using statistical methods, to act and correct them more quickly and weaknesses.

As for the device, in addition to the training that Alexa personal assistants awaken, the learning of each student allows for the accumulation of data to give the teacher a more precise view of the student in the virtual space that helps the student’s intellectual evolution.

The questioning and discussions should be extended until machine learning is already so evolved that its presence in the educational process is irreversible.

 [:]

 

[:pt]Realidade Mista e Inteligência Artificial[:en]Mixed Reality and Artificial Intelligence [:]

24 jul

[:pt]Entre as novidades tecnológicas emergentes no ano de 2018 está a Realidade Mista (MR, em inglês Mixed Reality) e a Inteligência Artificial (AI, Artificial Intelligence)
O CEO da Microsoft, Satya Nadella, já apontava como uma das soluções futuras, o HoloLens, uma solução RM + IA que ajuda usuários a fazer coisas antes impossíveis. A capacidade de mesclar os mundos físico e digital (o conceito analógico vale para dispositivos, mas não para o mundo real), faz com que a realidade mista permita construir experiências de pessoas, lugares e coisas independentemente de sua localização física e podem interagir digitalmente, chamo isto de multipresencial.

A Realidade Virtual são ambientes que excluem o mundo real, a Realidade Aumentada é um conteúdo digital que está no topo do mundo real e o conteúdo digital de realidade mista interage com o mundo real.

As empresas prometem, entre elas a Microsoft, incorporar o HoloLens com mais a IA contruindo uma Unidade de Processamento Holográfico ou HPU.
A realidade mista está vingando, além do software disponível junto ao Windows 10, porque as experiências nas experiências de RA e RV, você possa ter o melhor dos dois mundos, RV é encantadora, mas tem um efeito hipnótico e óculos incômodos e a RA falta o realismo.
As experiências futuras deverão incorporar compartilhamento em ambiente de RM,
um aplicativo disruptivo de comunicação social, com experiências que derrubam as paredes do isolamento e quem sabe, dão uma dimensão mais educativa aos games.
A realidade mista poderá conectar as pessoas de maneira significativa, convincente e cheias de conteúdo, o multipresencial nos unirá, aguardem um novo aplicativo.[:en]Among the emerging technological innovations in the year 2018 is Mixed Reality (MR) and Artificial Intelligence (AI) Microsoft CEO Satya Nadella already pointed to one of the future solutions, HoloLens, a RM + IA solution that helps users do things that were previously impossible.

Virtual Reality are environments that shut out the real world, Augmented Reality are digital content apn top of the real world and mixed reality digital content interacts with the real world.

The ability to merge the physical and digital worlds (the analogical concept applies to devices, but not to the real world), makes mixed reality allow to build experiences of people, places, and things regardless of their physical location and can interact digitally, I call this a multi-presence.

The companies promise, among them Microsoft, to incorporate HoloLens with more AI by building a Holographic Processing Unit or HPU. The mixed reality is avenging, in addition to the software available next to Windows 10, because experiences in the experiences of RA and RV, you can have the best of both worlds, RV is charming, but has a hypnotic effect, RA lacks realism.

Future experiences should incorporate sharing in the RM environment, a disruptive application of social media, with experiences that break down the walls of isolation and who knows, give a more educational dimension to the games.

The mixed reality can connect people in a meaningful, convincing and content-filled way, the multi-party will unite us, wait for a new application.

 [:]