RSS
 

Arquivo para a ‘Tecnologia’ Categoria

Complexidade, consciência e AI

16 Out

Já afirmamos que tanto a complexidade como a consciência são fenômenos que AiMachinepertencem a natureza biológica, e foram emprestados as chamadas ciências “exatas”, mas a AI (Artificial Inteligente) continua tendo avanços, quais seriam então os equívocos de noções equivocadas deste campo ?

A resposta do professor de tecnologia do MIT Rodney Brooks, que trabalha com a robótica para a Panasonic é que há 7 pecados capitais, e ele cita a lei de  Amara ao dizer que as pessoas tendem a subestimar tanto o efeito a curto prazo quanto ao de longo prazo da tecnologia ao examinar uma tecnologia inexistente, enquanto um outro fatos é confundir hipóteses onde a AI teria uma igual competência para resolver o problema de uma tecnologia inexistente.

Um terceiro fator apontado por Brooks é que a suposição frequentemente de praticar uma tarefa é frequentemente confundida com uma tarefa realizada por AI igual a competência.

Brooks também diz que as pessoas são propensas a paralelizar o progresso AI na aprendizagem de uma determinada tarefa para o mesmo processo em seres humanos, por isto sempre aparece a ideia de híbridos humano/máquinas.

Brooks afirma também que as pessoas não devem esperar que AI continue a progredir constantemente em um caminho de desempenho exponencial, mas sim em ajustes e reavaliações, e não devemos acreditar em cenários feitos pela mídia com situações inesperadas na AI.

É disto que tratava a ficção científica de Odisseia 2001, onde o computador que tomava decisões diabólicos jamais existiu e assitir o filme hoje mostra a irrealidade daquela ficção, já Blade Runner se atualizou em 2049 e pergunta se máquinas tem almas, a pergunta do escritor que inspirou o filme é se as máquinas sonham com ovelhas elétricas (no romance de Philip K. Dick_, e porque máquinas dormiriam ?  e porque máquinas dormiriam ?

Aliás a figura do cachorro do velho caçador de Androides, também chamar Harrison Ford para o papel foi interessante em referência ao romance que inspirou o filme.

O artigo completo de Rooney Brooks publicado na Technology Review da semana passada é bastante interessante e separa 7 falácias sobre a AI.

 

Blade Runner 2049 será melhor

25 Set

Um filme clássico de ficção sem dúvida é Blade Runner, não consideroBladeRunner o melhor e nem o primeiro, pois é preciso lembrar-se de Perdidos no Espaço (1965 a 1968) se pensamos em série de TV e o clássico de Stanley Kubrick 2001: Uma odisseia no espaço de 1968, dito por alguns: “o mais incrível, belo e mentalmente estimulante filme de ficção científica de todos os tempos”.
Para aqueles que conheceram o enredo do filme que está para ser lançado, há algumas coisas novas e estranhas.
Mas Blade Runner trouxe os replicantes, seres híbridos cuja verdadeira identidade robótica é escondida, e somente pelo olho (mais precisamente pela íris poderia ser identificado) e em plena guerra com os humanos, por isto dizem, é o pai de muitas ficções científicas modernas na linha robótica.
Em um cenário cavernoso de Budapeste, numa manhã de outono em 2016, e Harrison Ford – vestindo uma camisa cinza com botões, calça jeans escura e uma careta resistente a Ford – está atirando um encontro crucial em Blade Runner 2049, agora dirigido por Denis Villeneuve..
Pela primeira vez em mais de três décadas, Ford está retomando seu papel como Rick Deckard, o policial de dedos rápidos e de bebidas fortes do filme em 1982, do primeiro  Blade Runner de Ridley Scott.
Por que K (Ryan Gosling no policial caçador de androides) não usa apenas a porta da frente não é exatamente claro, pois o enredo do Blade Runner 2049 é protegido com o tipo de intensidade geralmente reservada para Star Wars. (Mesmo negociando para entrar no set exigiu mais e depois de um teste de Voight-Kampff).
Ana de Armas afirmou que sua personagem é “forte e complexa”, ela “é a amante do agente K, sua melhor amiga, e a única pessoa em quem pode confiar”.
Depois de 30 anos de Blade Runner há alguns detalhes confirmados: o público deixou Deckard machucado e maltratado em 2019 Los Angeles, ele desapareceu, e o oficial LAPD de Gosling está à caça (possivelmente sob o comando de seu chefe, interpretado por Robin Wright, embora ninguém envolvido com o filme diga com certeza).
Enquanto isso há uma nova geração de replicantes – o termo da série para os androides que são construídos por um misterioso inventor chamado Wallace (Jared Leto), que é ajudado por um empregado dedicado, Luv (Sylvia Hoeks).
Isso é praticamente tudo o que a equipe de 2049 está dizendo, não importa o quão educadamente eu pergunte. “Eu nem tenho certeza de ter permissão para dizer que eu tive um bom tempo fazendo isso”, brinca o ator Gosling.
O lançamento está previsto para 5 de outubro de 2017 (Brasil).

 

O que dizem do iPhone 8 e plus

20 Set

Não sei se já disseram alguma coisa antes, mas pude ler os primeiros aImagemIphone8comentários ontem do Hi Phone 8 e o modelo plus, Mathew Panzarino do TechCrunch destaca a câmera “com a realidade aumentada e visão computacional emergindo como concorrentes na próxima grande onda de desenvolvimento de plataformas, o sistema de câmera será um [importante] mecanismo de entrada, um sistema de comunicação e uma declaração de intenção”.

Outro site importante de tecnologias é o Engadget, Chris Velazco se viu curioso com os apps tipo ARKit funcionariam e gostou da experiência de realidade aumentada e afirmou que o preenchimento (renderização) de objetos virtuais em planos físicos os fazem “grudar nas superfícies melhor que os similares apps Tango”.

Outro site forte na área é The Verge, o comentário de Nilay Patel foi: “assim como na Samsung, as imagens do iPhone agora são mais saturadas por padrão, embora a Apple diga que ainda está visando realismo em vez das cores saturadas e as suavizações do S8” e afirmou mais a frente que tirando fotos com um iPhone 8, um Pixel XL, um S8 e um iPhone 7 “no automático, e o iPhone 8 produziu as imagens mais consiste e ricas do grupo”.

A novidade no software ficou por conta do recurso Iluminação de Retrato, que permite efeitos de luz com a câmera frontal, a bateria dura cerca de 11 horas avisa outro review,
Por fim o último, mas o mais importante site de tecnologia David Pierce da Wired, afirmou que “os celulares são muito bons e impressionantes, e ainda assim não são os melhores aparelhos da Apple. O iPhone X representa a visão do futuro da Apple, e também da Samsung, da Essential, da Huawei e muitos outros.”
Espera-se muito cada vez mais de câmeras e Apps de tratamento gráfico, o desempenho e a memória parecem são importantes, mas estão ficando em segundo plano, o site TechCrunch por exemplo nota que “o chip A11 da Apple tem um desempenho que é compatível com o Core i5 do MacBook Pro”.
Com a importância gráfica e tratamento de imagens telas OLED de maior definição serão importantes.

 

A internet quântica vem aí

18 Set

Enquanto as conexões 5G prometem ser realidade no ano de 2019, pesquisadores aQuantumInternetda Austrália avançam para a criação de uma internet baseada nos fundamentos das leis quânticas.

Pesquisadores da Universidade Nacional da Austrália (ANU) publicaram na segunda feira passada na “Science Daily”, um tipo de estrutura de cristal reforçada com o material érbio que pode aproveitar propriedades da mecânica quântica para tornar tod a Rede Mundial.

O coordenador do grupo, o professor  Matthew Sellars, afirmou que: “Os esforços para construir um computador quântico foram descritos, com frequência, como a ‘corrida espacial do século XXI’, mas os computadores atuais não foram cientes de seu potencial até termos a internet”, e que isto poderá liberar todo “o potencial dos futuros computadores quânticos”.

O resultado que foi desacreditado uma década atrás, agora: “Vendo esse resultado, é genial saber que nosso enfoque era o correto”, afirmou Sellars.

O gargalo da computação não tanto a velocidade de processamento que continua crescendo como o tempo de armazenamento mais lento e crescendo linearmente, conforme afirma uma antiga lei chamada lei de Moore, já que uma memória quântica é compatível com as telecomunicações, que é o desafio dos pesquisadores atualmente.

A pesquisadora Rose Ahlefeld (foto com Sellars), que participa do projeto, observou: “Uma memória quântica compatível com as telecomunicações é um componente vital para uma internet quântica prática”, e esta possibilidade será o salto quântico no mundo digital.

O material construído como o érbio é compatível com as atuais fibras ópticas e, além será capaz de se conectar com muitos tipos de computadores quânticos, incluindo os qubits de silício em diversos protótipos e também na universidade australiana.

 

Quais são os melhores planos para nuvens

29 Ago

Já passamos por disquetes, CDs, pendrives e agora são os armazenamentosaDrive em nuvens, há serviços bons, médios, mas os excelentes ainda estão por vir.

Detalhe importante verifique se ao comprar um tablete ou notebook se ele já não tem um serviço de nuvem disponível, na maioria das vezes teme o usuário nem sabe usar, é o que vem escrito como 25 GB de storage, pode ser mais ou menos, mas que significa armazenamento por toda vida, mais seguro que qualquer outro serviço.

Se colocar na ponta do lápis, os serviços gratuitos, vai encontrar 5 bons: Dropbox, OneDrive, Box, Google Drive e iCloud, mas ainda tem os serviços ADrive, Amazon, CloudDrive e SpiderOak que são bons, mesmo tendo serviço gratuitos terá que por um pouco a mão no bolso.

O Box é um dos serviços mais confiáveis do mundo, sendo uma opção bem equilibrada em termos de espaço e segurança, mas assim como alguns concorrentes, a desvantagem é a incompatibilidade com o sistema Linux.

Um dos mais famosos serviços de armazenamento em nuvem é também um dos mais robustos,  Dropbox tem pouco espaço para armazenamento no plano gratuito.

O produto da Google, o  Google Drive tem um espaço de armazenamento considerável, sincroniza fotos automaticamente, tem funções rápida, já vem instalado em quase todos os Androids e Chromebooks, sendo uma opção fácil para quem já usa outros serviços da companhia.

Estes outros planos, como o ADrive chegou a ganhar destaque nos últimos anos quando oferecia alto espaço de armazenamento sem custo ganhou mercado, mas depois ele só permitiu planos por assinatura.

 

Sistemas Autônomos e Inteligentes

23 Ago

A autonomia ligada a área de Inteligência Artificial (AI) foi mudando de SistemasAutonomosconotação ao longo do tempo, e hoje podemos dizer que está ligada a ideia genérica de interação com informações e ambientes sociais, o que é claro é um pouco vago demais

Então criar relações entre o campo de desenvolvimento de Agentes Inteligentes e Autonomia, assuntos que tem uma formalização bastante consistente em Agentes Inteligentes é uma boa ideia, e torna o conceito menos abstrato.

De acordo com Nicholas Jenning (2000) “a computação baseada em agentes representa uma nova síntese excitante, tanto para Inteligência Artificial (IA) quanto, em geral, na Ciência da Computação. Possui o potencial de melhorar significativamente a teoria e a prática de modelagem, concepção e implementação de sistemas informáticos.  No entanto, até esta (aquela) data, houve uma pequena análise sistemática do que torna a abordagem baseada em agente um modelo computacional tão atraente e poderoso. Além disso, ainda menos esforço foi dedicado a discutir as desvantagens inerentes decorrentes da adoção de uma visão orientada por agente. Aqui, ambos os conjuntos de questões são explorados.

Um ponto bastante importante, e pouco explorado ainda, mas citado por Jenning é a questão da interação social, afirma o autor: “”O ponto de vista desta análise é o papel do software baseado em agente na resolução de problemas complexos do mundo real. Em particular, argumentar-se-á que o desenvolvimento de sistemas de software robustos e escaláveis requer agentes autônomos que possam completar seus objetivos, situados em um ambiente dinâmico e incerto, que possam se envolver em interações sociais ricas e de alto nível e que possam operar dentro de Estruturas organizacionais flexíveis”.

Um campo que não é bem explorado é se os robôs e sistemas inteligentes que têm uma interação social efetiva podem ser “conscientes” dessa interação, no sentido fenomenológico, que diz que só há consciência de “algo” que sua atividade direcionada a certos objetos.

Esta será nossa próxima questão.

Jenning, Nicholas. On agent-based software engineering .  Artificial Intelligence 117, Science Direct (Elsevier licence), 2000.

 

O teorema de Gödel e a computação

22 Ago

A prova que Kurt Gödel formalizou para a teoria dos números deveria ser seguida por um documento que demonstrasse que o mesmo método de aplicasse a grandes sistemas axiomáticos formais em outros contextos, a abordagem moderna feita pela Máquina de Turing (é importante dizer que foi feita quase simultaneamente por Emil Post), que é uma prova mais geral e que toca o problema proposto por David Hilbert originalmente, que foi abordado por Gödel.

A prova agora escrita em linguagem de sistemas, de Gödel aplicava-se a formalizaçãoGodelTuring particular da teoria dos números e procurou demonstrar que servia a sistemas axiomáticos formais, mas um conceito que não poderia ser determinado pelo documento original de Gödel, devido à falta de definição matemática de um procedimento efetivo de um algoritmo computacional, ou aquilo que Turing chamou de Máquina de Estado Finito.

Depois que Alan Turing conseguiu determinar o procedimento efetivo, inventando um computador idealmente idealizado, agora chamado de máquina de Turing (também feito de forma independente por Emil Post), tornou-se possível avançar de forma mais geral.
O requisito fundamental de Hilbert para um sistema matemático formal era que havia um critério objetivo para decidir se uma prova estava escrita na linguagem do sistema. Em outras palavras, existe uma prova mais moderna seja ela a máquina de Turing, seja um algoritmo, ou um programa de computador, feito  para verificação de provas.

Assim a definição moderna e compacta do sistema axiomático formal como um conjunto de asserções recursivelmente enumerável é uma conseqüência imediata de um programa que trabalhe com um grande conjunto de teorema, que pela quantidade de axiomas, se tratados humanamente, levariam uma quantidade astronomica de tempo, algumas proposta foram feitas mais cedo em LISP (Levin, 1974) e mais recentemente por Gregory Chaitin (1982) ao propor que a Teoria da Informação de Algoritmos se propõe a trabalhar sobre objetos individuais em vez de conjuntos e distribuições de probabilidades propostos por Claude Shannon e Norbert Wiener. Assim a questão correta seria (Chaitin, 1982) quantos bits são necessários para calcular um objeto individual ?

A teoria da informação algorítmica se concentra em objetos individuais, em vez de nos conjuntos e distribuições de probabilidade considerados na teoria da informação de Claude Shannon e Norbert Wiener. Quantos bits é necessário para definir como calcular um objeto individual? Estes problemas levaram a teoria da Computabilidade.

A chamada teoria da computabilidade, também chamada de teoria da recursão, é um ramo da lógica matemática que foi originado na década de 30 com o estudo das funções computáveis e dos graus de Turing, foram estudadas por Kolmogorov, Chaitin, Levin, Martin-Löf e Solomonoff, ainda há inúmeros trabalhos sobre a questão.

A questão da completude, ou a classe NP-completo, é o subconjunto dos problemas NP da complexidade computacional,  verifica de que modo que todo problema em NP pode reduzir, com uma redução de tempo polinomial, a um dos problemas NP-completo, verificando se o problema é computável, na prática, se o algoritmo existe.

 

Os hologramas chegaram

15 Ago

Embora sejam recentes e ainda há muita tecnologia para que se tornemAoHologram realidades “aumentadas” em nosso cotidiano, os hologramas chegaram pelo caminho que é o mais rápido de ser antecipado, o mundo da arte.

Em muitos ambientes recentes são necessários headseats para mesclar o holograma com o mundo real, e criar o que ficou conhecido como realidade aumentada, em outros usam-se espelhos ou projeções 2D para enganar nosso cérebro e ver as figuras em pleno ar, mas agora o salto para o futuro foi audacioso.

Segundo o artista Joanie Lemercier, imaginou a técnica pensamento nos filmes Minority Report e a saga Star Wars, para dar vida ao “no-logram”, a visão que tem da realidade aumentada, e fazer com que os visitantes de suas “instalações” curtam o conteúdo em sua própria perspectiva sem depender de equipamentos específicos, e por enquanto, são projeções geométricas e formas produzidas em sensoriamento (por exemplo, de um corpo humano ou de uma peça artística), formas geométricas e com movimentações dinâmicas para entreter o público,.

Mas ele utiliza tecnologias de monitoramento “tradicionais”, como análise de imagens e sensores de profundidade para fazer formas sejam projetadas adequadamente.

Enquanto o cenário da indústria segue em sofisticação, este cenário mais simples parece ser mais efetivo uma vez que recorre a tecnologias existentes, e ao criar formas praticamente humanas (veja uma das projeções feitas por Lemercier), parece mais efetivo.

O próprio artista já prevê que num futuro bem próximo, ele pensa em usar gás comprimido e névoas com partículas finas de água para exibir projeções num ambiente ecologicamente inofensivo, e que estarão simulando impressões volumétricas em ambientes imersivos.

 

 

Amazon agora vende tickets

14 Ago

A Amazon volta a sacudir mercados mundiais, agora de tickets, já aparecem ofertas tanto noATPNitto site americano como no inglês, os tradicionais vendedores de ingressos estão ameaçados, como por exemplo, a Ticket Master que viu suas ações despencarem na bolsa americana.

Vai demorar para chegar no Brasil, mas o futuro já nos espera, o que acontece é que uma série de eventos e promoção de vendas locais, que significam empregos e algum dinheiro circulando nos locais dos eventos, podem ser subtraídos e gerar mais monopólio para o site que inicialmente vendia apenas livros digitais, agora já avança em outros mercados.

Mas as tradicionais vendedoras de tickets para eventos são culpadas, as taxas abusivas que cobram para as vendas podem chegar a 10% em grandes eventos e eventos que rapidamente esgotam ingressos, sem a garantia que estes ingressos podem cair nas mãos de cambistas.

Um dos controles que podem ser observados na Amazon é a limitação do número de ingressos por pagantes, como em geral são registrados no site este controle pode ser efetivo, é claro a menos que usem um grande número de laranjas, porém todos devem estar “registrados”.

No site inglês por exemplo, pode-se notar as finais de Tenis do ATP 1000 Nitto em Londres, de 2 a 18 de Novembro, além de outros como show dos GlobeTrotters, o evento para junho de 2018, o Glastonbury Festival em New Castle , Cardif, Manchester e Glasgow chamado El Sheeran que envolve música, performances e teatro, e muitos outros.

O mercado vai se agitar, nas bolsas já agitou caindo ações de empresas que vendem ingressos.

 

IoT e a segurança de dados

21 Jun

Muitos aspectos de segurança de dados foram desenvolvidos, mas há uma máxima daIoTSecurity computação que afirma que nenhum sistema é totalmente seguro, e se prevemos um crescimento exponencial das conexões com a internet das Coisas (IoT – Internet of Things), é um fato que o problema de segurança tenha também um crescimento nesta proporção.

Enquanto o mundo da IoT já chegou (smartphones, relógios, TVs, carros, óculos e outros aparelhos, nos de pode dizer que há uma plataforma IoT realmente segura e com operacionalidades simples.

Para os especialistas, um desses recursos básicos de segurança é a criptografia de dados, mas ela deverá estar agregada ao tratamento de Big Data, já que este para o volume de dados atuais já é praticamente indispensável, com a IoT será compulsório.

Os dispositivos IoT transacionam toneladas de dados, a criptografia já é um aspecto óbvio destes dados porém, ainda é raramente usada, menos ainda se pensamos de ponta a ponta, isto é, do produtor ao consumidor de dados, e então neste aspecto a IoT é mais sombria.

Com os avanços na computação quântica, a criptografia poderá também não ser suficiente para proteger dados vitais, pois computadores quânticos podem descobrir as chaves criptográficas ainda mais rapidamente, e os algoritmos ainda que eficiente agora, não há dado totalmente seguros,  as chaves dos criptogramas com uso de computação quântica serão mais rapidamente abertas, e enquanto a maioria dos hackers não tem acesso a esse nível de computação podemos estar seguros, mas por quanto tempo ?

É preciso começar desde já a repensar dois assuntos, o tratamento de dados por BigData e as chaves criptográficas a prova de computação quântica antes que estes recursos estejam nas mãos dos hackers.

Privacidade de dados, muitas vezes vitais para determinados sistemas, estão e estarão em cheque cada vez mais.