Warning: Declaration of wp_option::render($field_html, $colspan = false) should be compatible with base_wp_option::render() in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 123

Warning: Declaration of wp_option_text::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 170

Warning: Declaration of wp_option_textarea::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 194

Warning: Declaration of wp_option_choose_category::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 226

Warning: Declaration of wp_option_choose_page::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 240

Warning: Declaration of wp_option_select::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 257

Warning: Declaration of wp_option_file::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 301

Warning: Declaration of wp_option_separator::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/option-fields.php on line 408

Warning: Declaration of wp_option_choose_color_scheme::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/choose-color-scheme.php on line 39

Warning: Use of undefined constant wp_cumulus_widget - assumed 'wp_cumulus_widget' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/plugins/wp-cumulus/wp-cumulus.php on line 375
Jornais on-line « Blog Marcos L. Mucheroni Filosofia, Noosfera e cibercultura
RSS
 

Arquivo para a ‘Jornais on-line’ Categoria

[:pt]Vacinação e perigos a frente[:en]Vaccination and dangers ahead[:]

05 abr

[:pt]Os dados oficiais do site On Data in World indicam uma vacinação total no Brasil de 10,2 milhões de pessoas até 3 dias atrás, enquanto a média mundial fica no patamar de 6,5% e em países como França, Itália e Alemanha estão no inexplicável índice próximo a 11% (até a OMS reclamou).

Somente Israel perto dos 60% e Reino Unido próximo aos 50% tem índices aceitáveis, na América Latina somente o Chile chegou aos 30% e o Uruguai aos 20% mas deve-se observar que tem populações bem menores Chile 18 milhões (menor que a cidade de São Paulo), e Uruguai 3,5 milhões (pouco maior que Belo Horizonte se contando as cidades Betim, Contagem que são vizinhas),  o Brasil está próximo aos 10% contando a primeira dose conforme dados do mesmo site (on Data in World na imagem).

Dois perigos ameaçam fortemente os índices de contaminação: a nova cepa que se propaga mais rapidamente e o frio que deve chegar em breve, segundo os especialistas do Butantã não é possível acelerar o processo de produção de vacinas, mas já a FioCruz do Rio de Janeiro promete entregar 1 milhão de doses diárias, chegaria ao final de abril com 40 milhões de vacinados ao menos com a primeira dose (isto daria próximo ao 20% da população), e torcer para que o frio retarde, sem contar as remessas que virão do exterior e do próprio Butantã.

Felizmente o tempo tem estado quente, apesar de frentes frias ameaçando no sul, a expectativa para os próximos 15 dias (até o dia 20 de abril portanto), é de permanecer quente. apesar de chuvoso, porém não há dados corretos do tempo, as previsões nem sempre estão certas.

Espera-se que uma vacinação consiga frear o aumento sucessivo de infecções, batemos vários recordes de infecção e mortes, e a agressividade da nova cepa atua neste dois aspectos.

Um medicamento inovador é anunciado no mercado, e protocolou no último dia 30 de março o pedido na Anvisa, é uma combinação de anticorpos monoclonais bamlanivimabe e etesevimabe que foi desenvolvido pela farmacêutica Eli Lilly, e pode auxiliar em casos leves e pessoas que tenham problemas respiratórios, é o primeiro medicamento realmente válido na prevenção e nos casos leves que tenham comorbidades respiratórias, pode chegar em 30 dias ao mercado.

Este medicamento tem um trunfo poderoso, pois já tem a liberação da Food and Drug Administration (FDA) a reguladora de medicamentos nos EUA, enfim é preciso pensar em soluções criativas e não se pode descartar as medidas preventivas, claro que sejam realmente válidas.

Segue a versão em inglês (o site está em manutenção.

 [:en]Official data from the On Data in World (in graphic) website indicate a total vaccination in Brazil of 10.2 million people up to 3 days ago, while the world average is at the level of 6.5% and in countries like France, Italy and Germany they are inexplicable. rate close to 11% (even the WHO complained).

Only Israel close to 60% and the United Kingdom close to 50% have acceptable rates, in Latin America only Chile reached 30% and Uruguay to 20%, but it should be noted that Chile has a much smaller population of 18 million (less than the city ​​of São Paulo), and Uruguay 3.5 million (slightly larger than Belo Horizonte if counting the cities Betim, Contagem that are neighboring), Brazil is close to 10% counting the first dose according to data from the same site (on Data in World ).

Two dangers strongly threaten the contamination rates: the new strain that spreads more quickly and the cold that should arrive soon, according to experts from Butantã in Sao Paulo, it is not possible to speed up the vaccine production process, but on the other hand, FioCruz in Rio de Janeiro promises to deliver 1 million daily doses, would arrive at the end of April with at least 40 million vaccinated with the first dose (this would be close to 20% of the population), and hope that the cold will delay, not counting the shipments that will come from the abroad and Butantã itself.

Fortunately the weather has been hot, despite cold fronts threatening in the south, the expectation for the next 15 days (until April 20, therefore), is to stay warm. although it is rainy, but there is no correct weather data, the forecasts are not always right.

It is hoped that a vaccination will be able to stop the successive increase of infections, we have broken several records of infection and deaths, and the aggressiveness of the new strain acts in these two aspects.

An innovative drug is announced on the market, and filed the order on Anvisa on March 30, it is a combination of monoclonal antibodies bamlanivimab and etesevimab that was developed by the pharmaceutical company Eli Lilly, and can help in mild cases and people who have respiratory problems , is the first drug really valid in prevention and in mild cases that have respiratory comorbidities, it can reach the market in 30 days.

This medicine has a powerful asset, since it has already been released by the Food and Drug Administration (FDA), the drug regulator in the USA, in short it is necessary to think of creative solutions and preventive measures cannot be ruled out, of course they are really valid.[:]

 

[:pt]Urgente: mudar o pensamento, ensinar a viver[:en]Urgent: change thinking and teach to live[:]

10 fev

[:pt]Quando propomos um modelo que não é aquela do mundo da vida, dele Husserl fez uma filosofia, o seu Lebenswelt (mundo da vida), Habermas fez dela uma sociologia, Heidegger e Gadamer a incorporam em seus pensamentos, mas afinal que é a vida senão uma aprendizagem, não aprendemos com a pandemia.
O problema central de busca de uma “clareira” é que criamos modelos demasiadamente longe da vida, de sua defesa incluindo a natureza, a dignidade e o próprio viver, estamos num Setembro Amarelo, cujo tema não é outro senão o de dizer que vale a pena viver.  Teremos uma clareira, mas ela durará pouco, e poderíamos começar já uma grande mudança, depois poderá não haver tempo. 
Foi Morin que fez dela uma ousadia ao escrever Ensinar a Viver, a pedagogia esquecida e o método pouco utilizado, quando Morin escrevia seu Método (na verdade em vários volumes e sentidos), li no comentário da Editora Sulina que o publicou no Brasil, que “ele o desfaz em partes que, holograficamente, repetem esse todo de maneira sintética, mas completa”.
Morin começa por uma crítica que muitos fazem na universidade, mas se curvam a ela para não fazer valer suas “carreiras”, ele critica essa “deriva das universidades”, cujo dilema central ele sempre retorna que é “refazer o pensamento”.
Agarrados a métodos e modelos já superados, logicistas e neopositivistas, não se aponta “a natureza do conhecimento, que contém em si o risco de erro e de ilusão” (MORIN, 2015, p. 16).
O grande teórico da complexidade propõe antes de tudo um retorno a filosofia (no sentido do pensamento primário) em sua condição socrático de diálogo, aristotélicas (no sentido entre outros, da organização da informação), platônica (questionamento das aparências), e até mesmo pré-socrática (questionamento do mundo, inserção do conhecimento na cosmologia moderna), enfim não pode ensinar a vida sem saber que ela tem dilemas, erros e opções.
Morin, que poderia arrogar-se de sabedoria pela idade, pela intensa atividade intelectual, desde do pedestal daqueles cheios de certezas, sem dúvidas ou equívocos que vemos desfilar pelas academias e pelos palanques públicos da mídia devoradora e pouco questionadora.
Morin busca “conceber os instrumentos de um pensamento que fosse pertinente por ser complexo” (Morin, 2015, p. 23), e vemos a barbárie de certezas dogmas e pouco elaboradas.
Frases prontas, manuais de autoajuda, laissez-faire (principalmente econômico), grosseria e histeria ideológica, fazem um aprofundamento da crise cultural, humanitária e social de hoje.
Me assusta que leitores de manuais tenham tanta certeza com tão pouco pensamento, aliás a crítica ao pensamento cresce e o elogio da ignorância parece vencer qualquer argumento.
Morin nos encoraja e nos remete a um futuro ainda visível e possível, sua palestra na Fronteira do Pensamento (em 2016) é uma esperança e um aprofundamento que lança novas luzes.

MORIN, Edgar: Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Trad. Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Porto Alegre: Sulina, 2015[:en]When we propose a model that is not that of the world of life, Husserl made a philosophy of it, his Lebenswelt, Habermas made it a sociology, Heidegger and Gadamer incorporate it in his thoughts, but the end that is life if not learning. But we didn´t learning from the pandemic. 
The central problem of seeking a “clearing” is that we create models too far from life, from its defense including nature, dignity and living itself, we are in a Yellow September, whose theme is none other than to say that it is worthwhile. It is worth living.
thought”.  We will have a clearing, but it will not last long, and we could start a big change now, then there may not be time.

Clinging to already outdated methods and models, logicists and neopositivists, it is not pointed out “the nature of knowledge, which itself contains the risk of error and illusion” (MORIN, 2015, p. 16).
The great complexity theorist proposes, first of all, a return to philosophy (in the sense of primary thinking) in its Socratic condition of dialogue, Aristotelian (in the sense among others, of the organization of information), Platonic (questioning of appearances), and even pre-Socratic (questioning the world, inserting knowledge in modern cosmology), finally cannot teach life without knowing that it has dilemmas, errors and options.
Morin, who could boast of wisdom by age, by intense intellectual activity, from the pedestal of those full of certainties, no doubt or misconceptions that we see parading through the gyms and public stands of devouring and unquestioning media.
Morin seeks to “conceive the instruments of a thought that is pertinent because it is complex” (Morin, 2015, p. 23), and we see the barbarism of dogma and little elaborated certainties.
Ready-made phrases, self-help manuals, (mainly economic) laissez-faire, rudeness, and ideological hysteria deepen today’s cultural, humanitarian, and social crisis.
It scares me that book readers are so sure with so little thought, in fact criticism of thought grows and the praise of ignorance seems to win any argument.
Morin encourages us and brings us to a still visible and possible future, his lecture at the Frontier of Thought (2016) (Conference in Brazil) is a hope and a deepening that sheds new light.

MORIN, Edgar: Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Trad. Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Porto Alegre: Sulina, 2015[:]

 

[:pt]Mianmar urgente ![:en]Urgent myanmar![:]

01 fev

[:pt]Mianmar, antiga Birmânia, foi governada por forças militares até 2011, quando após um longo período de protestos, em que a Suu Kyi voltou ao país para resistir junto com a população ao autoritarismo do governo militar, acabou cedendo e fazendo reformas democráticas.

O filme feito sobre ela foi feito justamente no momento em que as forças democráticas retiravam do poder os militares, The Lady (em português traduzido como Além da Liberdade), conta a história de Aung Suu, Kyi filha de Bogyocke Aung San, grande estadista considerado pai da nação birmanesa, teve sua história recente contada no filme dirigido por  Luc Besson, o final foi adaptado porque o país entrava em um processo de redemocratização, após inúmeros protestos e a prisão de Sun Kyi.

Após 9 anos de redemocratização, que se consolidaria com a esmagadora vitória em novembro, de seu partido a Liga Nacional pela Democracia (NLD em inglês) e que os militares alegam terem sido “fraudadas” sem apresentar qualquer prova disto e agora retomaram o poder.

Em carta escrita antes de ser detida, Suu Kyi denuncia que as ações militares voltam a colocar o país sob a ditadura, e pediu ao povo “protestem contra o golpe”, “não aceitem isso”.

O mundo que vive sobre novas ameaças de facismo deve protestar contra mais um golpe na democracia e na convivência pacífica dos povos.

Presa muitas vezes, é dela a frase: “A única prisão real é o medo, há só uma liberdade real libertar-se do medo”.[:en]Myanmar, formerly Burmese, was ruled by military forces until 2011, when after a long period of protests, in which Suu Kyi returned to the country to resist with the population the authoritarianism of the military government, ended up giving in and making democratic reforms.

The film made about her was made just at the moment when the democratic forces were removing the military from power, The Lady (in Portuguese translated as Beyond Freedom), tells the story of Aung Suu, Kyi daughter of Bogyocke Aung San, a great statesman considered father of the Burmese nation, his recent story was told in the film directed by Luc Besson, the ending was adapted because the country was undergoing a process of redemocratization, after numerous protests and the arrest of Sun Kyi.

After 9 years of redemocratization, which would consolidate with the overwhelming victory in November, of his party the National League for Democracy (NLD in English) and that the military claims to have been “defrauded” without presenting any proof of this and now they have returned to power.

In a letter written before being arrested, Suu Kyi denounced that military actions put the country back under the dictatorship, and asked the people to “protest the coup”, “do not accept it”.

The world that lives under new threats of fascism must protest against yet another blow to democracy and the peaceful coexistence of peoples. Stuck many times, it is a sentence: “The only real prison is fear, and the only real freedom is freedom from fear”[:]

 

[:pt]Evitar a euforia, evitar a pandemia[:en]Serenity and calm[:]

22 jan

[:pt]As vacinas estão chegando, porém é hora de calma e serenidade, ou seja, evitar a ira (contrário da calma) e a euforia (o contrário da serenidade), sim é possível mesmo em momento de tensão e de forte ansiedade.

A explosão da ira e a euforia, precisaremos ainda ter medidas de isolamento e preventivas que exigem a pandemia, é provável que ainda dure por muito tempo, as vacinas cujas eficácia são ainda pequenas e a fase de testagem precisa continuar para ter índices mais confiáveis.

Países como a Inglaterra e Portugal, mesmo com início da vacinação, registram altas de infecções e casos mais graves, as variações do vírus são mais infeciosas e atingem maior população, a vacinação o que vai fazer é reduzir os índices de contaminação, no entanto, os hospitais estão cheios.

Para manter a serenidade pode-se buscar diversas formas de relaxamento e espiritualidade, o que parece quase impossível nestes dias, são as atitudes culturais e psicológicas que provocam mais e mais aglomerações e consequentemente índices maiores de contaminação.

Seguir uma forma de espiritualidade ou de meditação significa justamente encontrar a serenidade e manter a nossa “morada do ser”, como postamos a semana passada mais próxima da paz interior, desesperar jamais, para sair de um longo período de isolamento é preciso calma e paz.

Deve-se buscar com coração e alma atitudes contidas de alegria e esperança, não apenas porque estamos no final (assim esperamos) de uma pandemia, mas porque queremos que esta saída seja segura e com o mínimo de mortes possível.

É fácil observar, no caso do Brasil e de alguns países, que a impaciência é grande, o que provoca uma crise de ansiedade e que pode explodir em ira ou euforia, típicas de ausência de estabilidade.

Ao chamar os discípulos para iniciar uma caminhada com Ele, além de uma necessária mudança de rota (um novo sentido para uma caminhada) também era comum deixarem para trás, mesmo que fosse por algum tempo, seus trabalhos e empenhos.

Como a maioria dos discípulos eram pescadores deixa por algum momento a pescaria, e diz a leitura (Mt 1,19-20): “Caminhando mais um pouco, viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes, e logo os chamou. Eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os empregados e partiram, seguindo Jesus”, mas depois voltaram a trabalhar.

Assim não é difícil um tempo de parada, é preciso encontrar um caminho a seguir, mas logo já estaremos de volta ao trabalho e ao dia-a-dia, esperamos mais calmos e serenos.[:en]Vaccines are coming, but it is time for calm and serenity, that is, to avoid anger (contrary to calm) and euphoria (the opposite of serenity), yes, it is possible even in times of tension and strong anxiety.

The explosion of anger and euphoria, we will still need to have isolation and preventive measures that require the pandemic, it is likely to still last for a long time, vaccines whose effectiveness is still small and the testing phase needs to continue to have more reliable rates.

Countries like England and Portugal, even with the beginning of the vaccination, register high infections and more serious cases, the variations of the virus are more infectious and reach a larger population, the vaccination what will do is to reduce the contamination rates, however, hospitals are full.

To maintain serenity, you can seek various forms of relaxation and spirituality, which seems almost impossible these days, are the cultural and psychological attitudes that cause more and more agglomerations and consequently higher levels of contamination.

Following a form of spirituality or meditation means precisely finding serenity and maintaining our “home of being”, as we posted last week closer to inner peace, never despairing, to get out of a long period of isolation you need calm and peace .

One must seek with heart and soul attitudes contained with joy and hope, not only because we are at the end (so we hope) of a pandemic, but because we want this exit to be safe and with the least possible deaths.

It is easy to observe, in the case of Brazil and some countries, that impatience is great, which causes an anxiety crisis and that we can exploit in anger or euphoria, typical of the absence of peace.

When calling the disciples to start a walk with Him, in addition to a necessary change of route (a new direction for a walk) it was also common to leave behind, even if it was for some time, their work and commitments.

As the majority of the disciples were fishermen, he stopped fishing for some time, and the reading says (Mt 1.19-20): “Walking a little further, he also saw James and John, sons of Zebedee. They were on the boat, repairing the nets, and then he called them. They left their father Zebedee in the boat with the employees and left, following Jesus ”, but then they went back to work.

So it is not difficult to stop, you need to find a way to go, but soon we will be back to work and day-to-day, we expect more calm and serene.

 [:]

 

[:pt]A morte e a vida[:en]Death and life[:]

03 nov

[:pt]Pablo Picasso tem razão ao dizer que “a morte não é a maior perda da vida. A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos”, porém diante de uma pandemia que ameaça a todos, diante de uma segunda onda que promete ser ainda pior, Makron e outros governantes da Europa já o disseram, devemos encarar o tema.

Onde foi Dia de Finados, lembrar de mais pais e algumas pessoas que já não estão mais aqui sempre me fizeram um acalanto diante da vida e da morte, o que viemos fazer aqui nesta curta passagem, deveria ser a questão destes dias.

A pandemia poderia ter ensinado mais, ao menos conseguiu frear o vida frenética da Sociedade do Cansaço, mas a grande maioria das pessoas se comporta como se não houvessem muitas pessoas morrendo e que também elas podem estar de repente diante de uma encruzilhada, que assim penso, não será pessoal apenas, mas todo o planeta.

Li num dos últimos livros de Edgar Morin: “em vez de ser terra de ninguém, poderíamos ser terra de todos”, não é o ainda acontece, hoje é dia de eleições nos EUA, sem polarizar pode-se dizer se ganhou a vida ou a morte, não falo de políticas governamentais também, mas as ameaças de guerra que sempre pairam sobre a humanidade em tempos de guerra.

Todos um dia abandonaremos nossos sonhos, promessas e as coisas boas que fizemos, será hora de prestar contas se não a Deus, aos que creem, as gerações futuras sobre o legado que deixamos.

Viver a vida e ser feliz deve ter sempre como complemento também a felicidade dos outros, se não sou causa de felicidade a minha volta, a minha própria pode estar comprometida, e no fim da jornada ficará apenas aquilo que fizemos de bom e que os que ficam terão prazer em recordar.

A relação com o Outro e com a Natureza que é também um outro, deve ser modificada para que tenhamos esperança num futuro promissor para os que nascem.[:en]Pablo Picasso is right in saying that “death is not the greatest loss of life. The biggest loss of life is what dies inside us while we live ”, but in the face of a pandemic that threatens everyone, in the face of a second wave that promises to be even worse, Makron and other governments in Europe have already said, we must face the theme.

Where was All Souls’ Day, remembering more parents and some people who are no longer here always made me a lull in the face of life and death, what we came here to do in this short passage, should be the question of these days.

The pandemic could have taught us more, at least it managed to stop the frantic life of the Society of Tiredness, but the vast majority of people behave as if there were not many people dying and that they too may be suddenly at a crossroads, which I think so , it will not only be personal, but the whole planet.

I read in one of Edgar Morin’s last books: “instead of being nobody’s land, we could be everyone’s land”, it is not what still happens, today is election day in the USA, without polarizing it can be said whether he won his life or death, I do not speak of government policies either, but the threats of war that always hang over humanity in times of war.

All of us will one day abandon our dreams, promises and the good things we have done, it will be time to give an account if not to God, to those who believe, future generations about the legacy we have left.

Living life and being happy should always have the happiness of others as a complement, if I am not a cause of happiness around me, my own may be compromised, and at the end of the journey only what we have done will be left and that those who stay will be happy to remember.

The relationship with the Other and with Nature, which is also another, must be modified so that we have hope for a promising future for those who are born.[:]

 

[:pt]Segunda onda ou é outro Cov-2[:en]Second wave or is it another Cov-2[:]

02 nov

[:pt]Em artigo recente “Emergence and spread of a SARS-CoV-2 variant through Europe in the summer of 2020” publicado em 28 de outubro no site da medRxiv, informam a disseminação, presumivelmente a partir da Espanha,  de uma variante do vírus da Covid-19, que já seriam 80% das infecções recentes, o artigo ainda terá a revisão por pares, mas já disparou o alarme da comunidade científica, o artigo ainda terá revisão por pares.

Desde o início de setembro a Europa já verificava um aumento nos casos de infecção e retomava as medidas de distanciamento, era o final do verão, agora em outubro as medidas se tornaram irreversíveis, e o presidente da França chegou a declarar: “o vírus circula numa velocidade não prevista nem pelas previsões mais pessimistas … estamos todos na mesma posição: invadidos por uma segunda onda que será sem dúvidas mais difícil e mais mortal que a primeira”, a Inglaterra já decretou lock-down e ainda estamos no outono, o inverso deste ano promete ser rigoroso.

A Alemanha, a primeira-ministra Angela Merkel fez acordo com os governadores locais para fazer um “lockdown light”, mas até o final de novembro bares, restaurantes, teatros e academias terão que fechar as portas, será um Natal doméstico e com muitas restrições na Europa.

Na Itália o governo do primeiro-ministro Giuseppe Conte determinou que neste início de novembro bares e restaurantes de todo país só poderão ficar abertos até as 18h, academias, piscinas, teatros e cinemas não podem abrir.

As medidas impactaram as bolsas que tiveram uma forte queda, de 2% a 4% na Europa, e mais de 4% no Brasil, hoje feriado aqui, as bolsas no exterior se recuperam, mas a apreensão agora se volta para as eleições americanas marcadas para amanhã, porém muitos votos já foram antecipados e haverá record de eleitores, porque nos EUA o voto não é obrigatório.

As empresas que desenvolvem as vacinas prometem acelerar, mas especialistas apontam que isto não é possível e para esta variante também deve ser testada.

 

 [:en]In a recent article “Emergence and spread of a SARS-CoV-2 variant through Europe in the summer of 2020” published on October 28 on the medRxiv website, they reported the spread, presumably from Spain, of a variant of the Covid virus -19, which would already be 80% of recent infections, the article will still have peer review, but the scientific community has already raised the alarm, the article will still have peer review.

Since the beginning of September, Europe had already seen an increase in cases of infection and resumed the distance measures, it was the end of the summer, now in October the measures have become irreversible, and the President of France even declared: “the virus circulates at a speed not foreseen even by the most pessimistic forecasts… we are all in the same position: invaded by a second wave that will undoubtedly be more difficult and more deadly than the first ”, England has already decreed lock-down and we are still in the fall, the reverse this year promises to be strict.

Germany, Prime Minister Angela Merkel made an agreement with the local governors to make a “lockdown light”, but by the end of November bars, restaurants, theaters and gyms will have to close, it will be a domestic Christmas and with many restrictions in Europe.

In Italy, the government of Prime Minister Giuseppe Conte has determined that at the beginning of November bars and restaurants across the country will only be open until 6 pm, gyms, swimming pools, theaters and cinemas cannot be opened.

The measures impacted the stock exchanges that had a sharp drop, from 2% to 4% in Europe, and more than 4% in Brazil, today holidays here, the stock exchanges abroad recover, but the apprehension now turns to the scheduled American elections for tomorrow, however many votes have already been anticipated and there will be a record of votes.

The companies that develop the vaccines promise to speed up, but experts point out that this is not possible and for this variant it should also be tested.[:]

 

[:pt]No prazer do texto há um diálogo[:en]In the pleasure of the text there is a dialogue[:]

02 set

[:pt]No post anterior há as expressões de Barthes sobre literatura, escrita e texto, e já conceituamos a ideia de inscrição que se supõe um suporte, a escrita e o aspecto cognitivo e no texto o aspecto linguageiro, artístico e de “instalação”, e é aqui que analisa-se o seu livro “O prazer do texto”.

O livro apesar de aspectos teóricos é de fato um prazer ao ser lido, há diálogo e principalmente surpresas agradáveis, como por exemplo, um espaço semiológico, uma espécie de lugar entre duas margens: “uma margem obediente, conforme, plagiária (…) o estado canônico da língua e outra móvel, vazia (…) estas duas margens enceram, são necessárias” (pag. 40).

Cede a literatura mais clássica: “de Zola, de Balzac, de Dickens, de Tolstoi) traz em si mesma uma espécie de mimese enfraquecida: não lemos tudo com a mesma intensidade de leitura; um ritmo se estabelece, desenvolto, pouco respeitoso em relação à integridade do texto” (pag. 17)

Trata em uma única linha de rupturas Proust, Balzac e Tostói, “o próprio ritmo daquilo que se lê e do que não se lê que produz o prazer dos grandes relatos: ter-se-á algumas vez lido Proust, Balzac, Guerra e Paz, palavra por palavra?  (Felicidade de Proust: de uma leitura a outra, não saltamos nunca as mesmas passagens)” (pag. 18).

Recomenda como se deve fazer a verdadeira leitura: “Leiam lentamente, leiam tudo, de um romance de Zola, o livro lhes cairá das mãos; leiam depressa, por fragmentos, um texto moderno, esse texto torna-se opaco, perempto para o nosso prazer: vocês querem que ocorra alguma coisa, e não ocorre nada; pois o que ocorre à linguagem não ocorre ao discurso: o que “acorre”* , o que “se vai”, a fenda das duas margens .. “ (pag. 19).

Contrasta o texto com o teatro ou o cinema: “Na cena do texto não existe ribalta: não há por detrás do texto ninguém ativo (o escritor) nem diante dele ninguém passivo (o leitor); não há um sujeito e um objeto. O texto prescreve as atitudes gramaticais: é o olho indiferenciado que fala um autor excessivo (Angelus Silesius): ‘O olho com que eu vejo Deus é o mesmo olho com que ele me vê.” (pag.52).

Revela o segredo de outro livro seu: “Tradição antiga, muito antiga: o hedonismo foi repelido por quase todas as filosofias; só se encontra a reivindicação hedonista entre os marginais, Sade, Fourier; para o próprio Nietzsche, o hedonismo é um pessimismo” (pag. 74), o livro citado no post anterior que vai muito além do hedonismo.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. Trad.   J. Guinsburg. SP: Editora Perspectiva, 1987. (pdf)[:en]In the previous post there are Barthes’ expressions on literature, writing and text, and we have already conceptualized the idea of ​​inscription which is supposed to be supported, writing and the cognitive aspect and in the text the linguistic, artistic and “installation” aspect, and it is this is where his book “The pleasure of the text” is analyzed.

The book despite theoretical aspects is in fact a pleasure to be read, there is dialogue and mainly pleasant surprises, such as, for example, a semiological space, a kind of place between two margins: “an obedient margin, according to, plagiarism (…) the canonical state of the tongue and another movable, empty (…) these two margins wax, are necessary ”(page 40).

It yields more classic literature: “by Zola, by Balzac, by Dickens, by Tolstoy) it carries with it a kind of weakened mimesis: we do not read everything with the same intensity of reading; a rhythm is established, leisurely, with little respect for the integrity of the text ”(page 17)

Proust, Balzac and Tostói deals in a single line of ruptures, “the very rhythm of what is read and what is not read that produces the pleasure of great stories: Proust, Balzac, Guerra e Paz will sometimes have been read , word by word? (Proust’s happiness: from one reading to the next, we never skip the same passages) ”(page 18).

He recommends how to do the real reading: “Read slowly, read everything, from a Zola novel, the book will fall from your hands; read quickly, in fragments, a modern text, that text becomes opaque, timely for our pleasure: you want something to happen, and nothing happens; because what happens to language doesn’t happen to speech: what “happens” *, what “goes away”, the gap in both margins .. “(page 19).

Contrast the text with the theater or the cinema: “In the text scene there is no limelight: there is no one active behind the text (the writer) nor before anyone passive (the reader); there is no subject and object. The text prescribes grammatical attitudes: it is the undifferentiated eye that an excessive author (Angelus Silesius) speaks: ‘The eye with which I see God is the same eye with which he sees me.” (pag.52).

It reveals the secret of another book of his: “Old, very old tradition: hedonism has been repelled by almost all philosophies; only the hedonistic claim is found among the outcasts, Sade, Fourier; for Nietzsche himself, hedonism is pessimism ”(page 74), the book quoted in the previous post that goes far beyond hedonism.

BARTHES, Roland. (1987) O prazer do texto. Trad.   J. Guinsburg. Brazil, SP: Editora Perspectiva.  (portuguese edition in pdf, in english edition pdf)

 

 

 

 [:]

 

[:pt]Porque é difícil uma vacina este ano[:en]A vaccine is difficult this year[:]

24 ago

[:pt]Há três fases para que uma vacina seja liberada, no Brasil o órgão responsável pela avaliação e aprovação de solicitações para realização de pesquisas clínicas com fins de registro e de pedidos de registro de produtos imunobiológicos desenvolvidos na indústria farmacêutica é feito pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), há comitês de ética que acompanham as etapas dos estudos, os Comitês de Ética em Pesquisa (CEPs) e/ou da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), então há critérios e cuidados que são observados.

Na fase 1, são selecionados pequenos grupos de voluntários, normalmente adultos saudáveis, são avaliados para a verificação da segurança e determinação do tipo de resposta imune provocada pela vacina, na fase 2, há a inclusão de um maior número de indivíduos e o produto é administrado em indivíduos representativos da população com menores proteções imunológicas (crianças, adolescentes, idosos e pessoas com imunologia comprometida), já na terceira fase é preciso aplicar numa grande quantidade de indivíduos e garantir o mínimo possível de reações adversas e contra-indicações, nesta etapa o número de voluntários deve ser grande.

A empresa só vai solicitar o registro de produtos com estudos na fase 3 em andamento, assim os dados das etapas 1 e 2 devem estar consolidados e sua eficiência demonstrada com alta eficiência terapêutica e/ou preventiva, e não exista terapia alternativa comparável aquele estágio da doença, aqui entra em cena o jogo dos interesses econômicos que podem ser levados para o campo político e até mesmo de disputa de mercados, porém é de se esperar que no caso da Covid-19 haja alguma ética neste processo.

Há 26 vacinas em estágio avançado, mas as quatro vacinas com potencial uso no Brasil são de quatro técnicas diferentes:  o vetor viral é a técnica de Oxford e AstraZeneca que tem colaboração da FioCruz brasileira, a do laboratório chinês Sinovac tem participação do Instituto Butantan, a BioNTech – Wytech/Pfizer tem laboratórios privados no Brasil e anunciou que poderia estar pronta em Outubro, e, a Janssen Pharmaceuticals (Johnson & Johnson) adota a técnica do vetor de adenovírus (veja as técnicas e colaborações na figura).

A Sinovac com a técnica de vírus inativado poderá estar pronta para o ano que vem, a Janssen não fez grandes anúncios ainda, mas sabe-se que irá para a terceira fase, e a mais promissora que é a de Oxford está na fase 3, mas não deverá estar disponível até na melhor das hipóteses em dezembro.

De acordo com a Anvisa, o prazo para a manifestação sobre a vacina é de até 60 dias, embora a Anvisa tenha acelerado o processo de pedidos para medicamentos e vacinas no caso da Covid-19 instituiu um Comitê de Avaliação de Estudos Clínicos, Registro e pós-registro de Medicamentos, que inclui vacinas.

Assim ainda que o pedido esteja encaminhado em Outubro o provável de sua aprovação é para dezembro, até iniciar a produção e colocar a disposição dos órgãos de saúde deverão estar pronta para início da vacinação em meados de janeiro, antes disto cuidado, prevenção e manter as esperanças.

Enquanto isto estamos, no Brasil, paralisados num patamar de mil mortes diárias.[:en]There are three phases for a vaccine to be released, in Brazil the body responsible for evaluating and approving requests for conducting clinical research for the purpose of registration and requests for registration of immunobiological products developed in the pharmaceutical industry is made by Anvisa (Agência Nacional de Health Surveillance), there are ethics committees that monitor the stages of the studies, the Research Ethics Committees (CEPs) and / or the National Research Ethics Commission (CONEP), so there are criteria and care.

In phase 1, small groups of volunteers are selected, normally healthy adults, are evaluated to verify the safety and determine the type of immune response caused by the vaccine, in phase 2, a greater number of individuals are included and the product is administered to individuals representative of the population with lower immunological protections (children, adolescents, the elderly and people with compromised immunology), already in the third phase it is necessary to apply to a large number of individuals and ensure the minimum possible adverse reactions and contraindications, in this stage the number of volunteers must be large.

The company will only request the registration of products with studies in phase 3 in progress, so the data from steps 1 and 2 must be consolidated and their efficiency demonstrated with high therapeutic and / or preventive efficiency, and there is no alternative therapy comparable to that stage of disease, here comes the play of economic interests that can be taken to the political field and even to dispute markets, however it is to be expected that in the case of Covid-19 there is some ethics in this process.

There are 26 vaccines in an advanced stage, but the four vaccines with potential use in Brazil are based on four different techniques: the viral vector is the technique of Oxford and AstraZeneca, which has the collaboration of FioCruz Brazilian Lab, the one from the Chinese laboratory Sinovac has participation from the Butantan Institute USP-Brazilian, BioNTech – Wytech / Pfizer has private laboratories in Brazil and announced that it could be ready in October, and Janssen Pharmaceuticals (Johnson & Johnson) adopts the adenovirus vector technique (see techniques and collaborations in the figure).

Sinovac with the virus inactivated technique may be ready for next year, Janssen has not made big announcements yet, but it is known that it will go to the third phase, and the most promising one is that of Oxford is in phase 3, but it should not be available until at best in December.

According to Anvisa, the deadline for the manifestation on the vaccine is up to 60 days, although Anvisa has accelerated the ordering process for medicines and vaccines in the case of Covid-19, it instituted a Committee for the Evaluation of Clinical Studies, Registration and Post-registration of Medicines, which includes vaccines.

Thus, even if the request is sent in October, the probable approval is for December, until production begins and the health agencies must make it available, they should be ready to start the vaccination in mid-January, before this care, prevention and maintaining hopes.

Meanwhile, in Brazil, we are paralyzed at a level of a thousand daily deaths.[:]

 

[:pt]As primárias americanas[:en]American primaries[:]

05 fev

[:pt]Depois de um fiasco tecnológico, curioso que isto aconteça nos EUA e aqui duvidem das urnas, sai os primeiros resultados com 62%, mais curioso ainda é o sistema de contagem pois embora Bernie Sanders lidere, de fato um candidato a esquerda, os resultados até a noite de ontem eram:
Pete Buttigieg lidera com 26,9% dos delegados do estado para indicarem o candidato, enquanto Sanders logo atrás em 25,1% dos valores, seguem a senadora Elizabeth Warren com 18,3%, Joe Biden com 15,6% e Amy Klobuchar com 12,6%, um deles irá disputar com Trump que ganhou lá.
Pode-se especular sobre os verdadeiros motivos do atraso, suspeitas a parte, o crescimento de Bernie Sanders pode significar uma polarização futura nas eleições uma direita radical contra uma esquerda (nos moldes americanos) também radical, é quase uma tendência mundial.
O importante é entender por que isto ocorre, e claro se espalha por toda a sociedade, primeiro a dificuldade em situações extremas de pensar sobre situações políticas quando os discursos foram para extremos e segundo porque a imposição de um presidente radicalizado desperta reação.
É possível retomar a serenidade e voltar a refletir sobre os urgentes e dramáticos problemas mundiais, da ecologia a distribuição de renda, seria saudável para a democracia, para os cidadãos e para a cultura conforme refletimos ontem sobre os indicados para o Oscar que tem o dedo de dois diretores brasileiros, porém o cenário americano e mundial preocupa.
Radicalização favorecem a ditadores, nunca a democracia, creio que quando Alexis Tocqueville escreveu “Democracy in America” (1832) não poderia supor uma radicalização deste tipo.[:en]After a technological shame, curious that this happens in the USA and here the polls doubt, the first results come out with 62%, even more curious is the counting system because although Bernie Sanders leads.

In fact a candidate to the left, the results even yesterday night were: Pete Buttigieg leads with 26.9% of state delegates to nominate the candidate, while Sanders is behind in 25.1% of the figures, followed by Senator Elizabeth Warren with 18.3%, Joe Biden with 15.6% and Amy Klobuchar with 12.6%, one of them will dispute with Trump who won there.

One can speculate on the real reasons for the delay, suspicions aside, the growth of Bernie Sanders could mean a future polarization in the elections, a radical right against a left (in the American mold) also radical, is almost a global trend.

The important thing is to understand why this occurs, and of course it spreads throughout society, first the difficulty in extreme situations of thinking about political situations when the speeches went to extremes and second because the imposition of a radicalized president arouses a reaction. It is possible to resume serenity and reflect again on the urgent and dramatic world problems, from ecology to income distribution, it would be healthy for democracy, for citizens and for culture as we reflected yesterday on the Oscar nominees who have the finger of two Brazilian directors, but the American and world scenario is worrying.[:]

 

[:pt]Óbidos, a cidade medieval Portuguesa[:en]Óbidos, the Portuguese medieval city [:]

22 jul

[:pt]A cidade de Óbidos, considerada uma das 7 maravilhas de Portugal, ali pequenas cidades são vilas, embora tenham câmara municipal, são vinculadas a um distrito e esta cidade é vinculada ao distrito de Leiria, na província de Estremadura, o centro tem 2200 habitantes, mas a região toda tem quase 12 mil.
A cidade possui um castelo com Muralhas, considerada uma das 7 maravilhas de Portugal, onde pode-se conviver com aspectos medieval, esta semana por exemplo, tem o festival medieval, mas o projeto “Vila Literária” transformou Óbidos em Cidade Literária pela UNESCO.
Fica a 80 quilômetros de Lisboa, tem três ruas transversais, a rua Direita, a do Facho e de Josefa d´Óbidos, homenagem a principal artista barroca da cidade, post de amanhã.
Há vestígios que Óbidos seja habitado desde povos primitivos, sua logística próxima ao mar, o clima e a fortificação de defesas estiveram nesta região também os romanos, os muçulmanos e no ano 1148, após a conquista de Santarém e Lisboa por D. Afonso Henriques, também foi tomada dos árabes.
Há ali perto a Lagoa d´Óbidos, pode-se pela estrada real, sendo como lagoa mais fácil de defesa e também com saídas para o mar em vários pontos, indo da Praia de Bom Sucesso até a Praia da Foz do Arelho Mar, contornando a Lagoa.
Quanto ao nome, a palavra vem do latim Oppidus, que significa “cidade fortificada”, há sinais que o imperador Cesar Augusto tenha erigido a cidade no final do século I a.C.
Esta semana Óbidos realiza o Festival Medieval, e haverá um encontro doutoral de Arte Digital da Universidade Aberta.
O vídeo abaixo mostra o Festival Medieval do ano passado:
https://www.youtube.com/watch?v=QeVOXpiKBC4[:en]The city of Óbidos, considered one of the 7 wonders of Portugal, the little towns are villages, although they have municipal council, are linked to a district and this city is linked to the district of Leiria, in the province of Extremadura, the center has 2200 inhabitants , but the whole region has almost 12 thousand.

The city has a castle with walls, considered one of the 7 wonders of Portugal, where you can live with medieval aspects, this week for example, there is the medieval festival, but the project “Literary Village” turned Óbidos into Literary City by UNESCO.

It is 80 kilometers from Lisbon, has three cross streets, Rua Direita, Rua do Facho and Josefa d’Óbidos, a tribute to the main baroque artist of the city, post tomorrow. There are vestiges that Óbidos is inhabited from primitive peoples, its logistics near the sea, the climate and the fortification of defenses were in this region also the Romans, the Muslims and in the year 1148, after the conquest of Santarém and Lisbon by D. Afonso Henriques, was also taken from the Arabs.

There is near the Lagoa (lagoon) d’Óbidos, it is possible for the real road, being like lagoon easier of defense and also with exits to the sea in several points, going from the Beach of Bom Sucesso to the Praia da Foz do Arelho (Beach of the Foothills of the Sea Arelho), bypassing the Lagoon.

As for the name, the word comes from the Latin Oppidus, which means “fortified city”, there are signs that the emperor Cesar Augustus erected the city in the late 1st century BC. This week Óbidos holds the Medieval Festival, and there will be a doctoral meeting of Digital Art from the Open University.

The video below shows the Medieval Festival of last year:

https://www.youtube.com/watch?v=QeVOXpiKBC4

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 [:]