RSS
 

Arquivo para setembro, 2013

Ansiedade da Informação 1

30 Set

A segunda revisitação que faremos, é de um cara que inventou a própria profissão e Ansiedade1cunhou uma palavra que hoje é presente em diversas áreas: a Arquitetura da Informação.

Ele era arquiteto de fato, autor Richard Saul Wurman foi professor em Princeton, Cambridge e no MIT, além de ter sido membro do Fórum Econômico Mundial em Davos na Suíça em 1994, premiado diversas vezes pelo National Endowment for the Arts e recebeu o Prêmio Kevin Lynch do MIT pela criação dos guias de viagem Access.

Ansiedade da Informação 1 ao contrário do que o título indica, deve ser compreendida com o subtítulo como transformar a informação em conhecido, assim pode-se dizer que os ansiosos a falar da ansiedade, devem compreendê-la dentro do ciclo da neurose (veja nosso post).

O próprio Wurman (1991, p. 38) esclarece o tema (veja a data que é no início da Web):

“Ansiedade de informação é o resultado da distância cada vez maior entre o que compreendemos e o que achamos que deveríamos compreender. É o buraco negro que existe entre dados e conhecimento, e ocorre quando a informação não nos diz o que queremos ou precisamos saber”.

Voltando a ansiedade, em termos clínicos, a crise se inicia com o pânico, que nos induz ao medo e este pode no limite ficar fora de controle, situações e/ou pessoas que nos lembra algo que passamos; isto nos induz a crenças e sistemas que “nos protegem” (não refiro-me ao fato religioso, embora em certos casos seja exatamente isto), que por último nos levam a necessidades e que estas “fora de controle” nos transformam em ansiedade.

Pode-se colocar este ciclo como informacional, mas fora do âmbito neurótico de uma doença, temos uma questão (que nos leva a uma pergunta) que é respondida por uma reflexão (e não pelo medo) e reestabelecemos o controle do pensamento, isto nos leva a uma hipótese (comprovada ou não) que nos leva a um sistema lógico que conduz a novas necessidades e que nos levam a outra questão (ou pergunta, mas sem qualquer ansiedade).

Porque este ciclo está bloqueado ou se transforma em ansiedade ? pela excesso de informação ou porque que não foi transformada em conhecimento.

 

Mais do choque do futuro

28 Set

Vemos um mundo cada vez mais mundializado, isto é, um mundo que se vê como mundo, que sabe

Placa do futuro

Placa do futuro

dos problemas e conflitos de países outrora longínquos agora na esquina de um “maps”.

Escrito em 1970, Toffler parecia antever os problemas que temos no nosso dia a dia, na escola:

“Consideremos, por exemplo, o contraste entre os modos como as escolas de hoje tratam do espaço e do tempo. Todos os alunos, em praticamente todas as escolas, são cuidadosamente ajudados a localizar-se no espaço. Têm de estudar geografia. Mapas, atlas e globos ajudam-nos a ter consciência da sua localização no espaço. […] No entanto, quando se trata de localizar a criança no tempo pregamos- lhe uma partida cruel e prejudicial. Mergulhamo-la o mais possível no passado do seu país e no do Mundo: tem de estudar a Grécia e a Roma antigas, o advento do feudalismo, a Revolução Francesa, etc.; […] E, então, o tempo pára. A escola é muda acerca do amanhã. […] [p. 415] O tempo para bruscamente, a atenção do estudante é orientada pra trás e não para frente. O futuro, já banido da sala de aula, é também banido da sua consciência, como se fosse uma coisa inexistente, como se não houvesse futuro.” (Toffler, 1970, p. 414-415).

Acrescenta as dificuldades da literatura que prepare o estudante para frente, mas não ignora o sentido crítico, que é claro, fundamental para as demandas de mudanças:

“Não temos uma literatura do futuro para usar nesses cursos, mas temos literatura acerca do futuro, literatura que não consiste apenas nas grandes utopias e sim, também, na ficção científica contemporânea. A ficção científica é tida em baixa conta, como literatura inferior, e talvez mereça esse desdém crítico. No entanto, se a considerarmos como uma espécie de sociologia do futuro, em vez de como literatura, a ficção científica reveste-se de grandíssimo valor, pois é uma força que instila no cérebro o hábito da antecipação” (Toffler, 1970, p. 417).

Não se trata apenas de problemas tecnológicos, uma cultura para esta “sociedade-mundo”, os problemas políticos, éticos e religiosos; a cultura da colaboração e da paz (temos uma cultura cada vez mais beligerante) e principalmente a ideia que podemos nos ver com tolerância, respeito às diferenças e aos bens comuns (oceanos, ar, natureza e a própria casa de tudo que é o planeta).

O que era futuro em 1970 hoje é presente, será que a educação está ao alcance do presente?

 

O choque do futuro chegou ?

27 Set

Em meio a tantas possíveis mudanças, mas sem que hajam forças suficientes para implementá-las ficamos na revisitação deOChoqueDoFuturo teorias e ideias passadas, e eu também não escapo disto.

Uma das leituras de minha juventude foi “O choque do futuro” de Alvin Tofler, como todo interprete é um traidor de uma obra, e tentando escapar disto, cito o próprio Toffler:

“Em 1965, num artigo publicado na revista  Horizon, inventei a expressão ‘choque do futuro’ para descrever a tensão arrasadora e a desorientação que causamos aos indivíduos ao submetê-los a excessiva mudança num espaço de tempo demasiado curto.” (Toffler, 1970, p. 8)

Ele vai dizer que o choque do futuro tem o perigo de uma doença autêntica, “da qual já padece um número cada vez maior de pessoas”. (idem, p. 8) “acerca da adaptabilidade  tanto  aqueles que exigem e provocam grandes mudanças na nossa sociedade”  (idem, ibidem).

Com isto devemos faze uma pergunta, na lógica do discurso de Toffler, e que ele também pergunta , que é a de “ estarmos à altura dessas mudanças.” (Toffler, 1970, p. 8).

Para entender isto, ele volta ao EUA em período de reaceleração, no pós-guerra e vê uma sociedade se readaptando: “Cerca de 1956, os Estados Unidos tornaram-se a primeira grande potência em que mais de 50%da força de trabalho não agrícola deixou de usar a ganga característica do labor fabril ou manual” (Toffler, 1970, p. 20).

E faz uma importante constatação: “Se a desaceleração é uma nova força social, a transitoriedade é o seu equivalente psicológico, e se não compreendermos o papel que ela representa no comportamento humano contemporâneo, todas as nossas teorias de personalidade, e toda a nossa psicologia permanecerão irremediavelmente  pré-modernas. (Toffler, 1970, p. 23).

Continuaremos lendo Toffler, aguardem, mas uma conclusão parcial é crescer a qualquer preço, pode significar um preço alto demais.

* TOFFLER, Alvin. Choque do futuro. Lisboa : Edição Livros do Brasil, 1970.

 

Mais sobre o Feedspot

26 Set

Além de recursos básicos RSS leitor como a etiquetagem, organização de pastas, atalhos de teclado, lista / expandido vista, FeedspotEuclassificação e vários outros, o próprio blog indica três características únicas do recurso:

Quanto ao social, ele permite seguir outros usuários e ver as mensagens compartilhadas por eles em seu feed de negócios, com links externos, imagens e vídeos.  Para isto você pode compartilhar um artigo ou uma nota pessoal com os seus seguidores.

Quanto a pesquisa e aos folders, pode-se procurar em pastas públicas criados por outros usuários e passar a seguir estas pastas, tais como: tecnologia, fofocas de celebridades, comidas, histórias em quadrinhos e muitas outras conforme o interesse. Elas também podem ser compartilhadas.

A terceira característica é um compartilhamento avançado, onde o usuário pode querer compartilha uma ou várias redes sociais, por exemplo, postas seus favoritos diretamente para o Facebook, Twitter, Pocket ou Bufferapp; havendo ainda um feed RSS para suas pastas, tags, favoritos ou itens compartilhados.

 

Feedspot ressuscitará o RSS ?

25 Set

FeedspotEm janeiro morria com apenas 26 anos o criador do RSS (veja nosso post) Aaron Swarz, que aos 16 já tinha feito seu maravilhoso Feed, logo depois viriam as notícias de desativação do RSS.

Agora é anunciado o Feedspot que tenho a alegria de ser um dos avaliadores, recebendo esta notícia de um dos seus criadores: Anuj que me enviou a mensagem:

“I’d like to invite you to beta test Feedspot”

Prontamente aceitei e pedi a ele um release e ele me enviou um post do seu blog.

Lá eu li com satisfação a missão do novo feed: “Nossa missão é trazer RSS volta para seus primeiros dias de glória. Para isso, estamos repensando o produto Leitor de RSS e construção de uma plataforma completamente nova a partir do zero. RSS nunca chegou aos usuários comuns de internet”.  Grande, brilhante … vamos lá.

Então querem transformar o “leitor de RSS em um produto social, integrando a partilha ea funcionalidade social profunda no núcleo do produto. A maneira Tumblr revolucionou a categoria de blogs, adicionando uma camada social, a nossa meta é fazer exatamente a mesma coisa para o leitor de RSS mercado”.

E acrescentou: “O objetivo da Feedspot é aplicar a mesma lógica para o leitor de RSS e ao fazê-lo … apelando para o mainstream”.

A meta parece maravilhosa, vamos verificando e dando mais dicas do Feedspot.

 

Acordo entre o Twitter e a CBS

24 Set

Primeira rede de televisão, a norte-americana CBS fechou um acordo com o Twitter para exibir promoções cruzadas naTwitterCBS rede social e no canal de entretenimento.

De acordo com o site GigaOm, serão exibidos vídeos de programas e notícias no Feed de Notícias do micro blog, tais como: ’60 Minutos’, ‘CSI’ e muitos  outros shows terão pequenos espaços no site.

Como modelo de negócios, os tweets em vídeo mostrarão comerciais, e as marcas ainda poderão contar com tweets promovidos para ampliar a divulgação feita na rede de televisão.

A negociação com a CBS chega no momento que o micro blog prepara o lançamento de suas ações, a sua IPO deve ser lançada em 2014, tendo no comando o banco Goldman Sachs, que estima um capital em valor estimado de US$ 10 bilhões.

As ações da empresa devem ser inicialmente ofertadas na bolsa de valores de Nova York, a NYSE.

Alguém topa reinventar o microblog para as pessoas  que não gosta de comerciais de mal gosto ?

 

Big Data com uso de Hadoop 2.0

23 Set

Conforme afirmou Merv Adrian, analista da empresa de pesquisa Gardner, o Hadoop 2.0 éHadoop2.0 “um passo importante”, tornando-se uma tecnologia com “um ambiente operacional de dados muito mais versátil”, e agora trabalha também com ferramentas tradicionais SQL.

Hadoop, é um dos vários projetos da Fundação de Software Livre Apache, o software mais usado em servidores, foi construída em Java, usa computação distribuída HDFS (Hadoop Distributed File System) e trabalha com os conceitos de MapReduce e GoogleFS (GFS), conceitos importantes para tratar BigData.

O projeto de alto-nível da Apache foi construído por uma comunicade de desenvolvedores, que inclui até mesmo o Yahoo, veja os contribuidores no wiki da Apache.

Até agora, porém o Hadoop tem sido usado principalmente para reduzir enormes conjuntos de dados para análise, mas apenas em lotes, e não fluxos (Workflow) que agora é possível.

Segundo pesquisa da Gartner em 720 empresas, feita em junho, 64% estavam investindo em BigData, o que representa 58% em relação ao ano passado, e Hadoop 2.0 promete um tratamento simplificado para pequenas e médias empresas no controle do Workflow.

 

O iOS7 chegou, novidades ?

21 Set

Anunciado em junho deste ano, a nova versão do iOS7 está disponível, desde 18/09.iOS7

A saída do vice-presidente da Apple, Scott Forstall,  passando para o homem do design Jony Yve, ao meu ver a grande jogada dos dispositivos Apple, sendo a mudança mais significativa que indica esta nova versão, a do design, já criticada por alguns como muito infantil, mas também é mais intuitiva e menos complicada.

Um bom exemplo disto, é que no menu rápido, além da funcionalidade de foto, tem também uma lanterna, uma calculadora e o relógio, que estão acessíveis mesmo na tela de proteção.

O Facetime também está mais prático e simples, conversas é o uso cada vez mais comum.

O design dos ícones, com nova escolha de cores, privilegiando tons mais alegres e claros, e chegando à aparência minimalista das telas, essencialmente brancas, deu um tom clean.

A Apple reconheceu uma falha de segurança que permite o acesso a fotos, mesmo que estejam com bloqueio de acesso.

Pessoalmente ainda faço a opção por Androids, funcionalidades mais robustas e maior número de desenvolvedores de aplicativos gratuitos.

 

Venda de tablets crescem

20 Set

Segundo o instituto IDC Brasil,  a venda de tablets do segundo trimestre deste ano no País disparoutablets chegando a uma taxa de crescimento de 151% em relação ao mesmo período no ano passado.

Comparativamente aos notebooks os dados já se aproximam, de abril a junho, os tablets chegaram a 35% do total enquanto os notebooks tiveram 38% das vendas no trimestre e os desktops ficaram em 27%.

Quanto aos sistemas operacionais, 95% dos tablets comercializados são Androids, e os equipamentos com preço de até R $500, tiveram 55% do total, mostrando uma queda no preço, pois em igual período de 2012 o teto dos preços era R$ 628.

A expectativa de vendas de tablets no mercado brasileiro em 2013 está gora estimada para cima, com uma expectativa de 7,2 milhões de unidades, 120% a mais do que 2012.

No total a Apple já vendeu 14,6 milhões de iPads no país, mas a queda deste ano de 14%, mostra que os Androids devem superar  número o total dos equipamentos da maçã.

 

Rumo ao SMS gratuito

19 Set

La empresa china Tencent, dice que la campaña publicitaria protagonizada por Lionel Messi y la versiónWeChat2 5.0 que se cayó en el gusto popular, apalancado la aplicación.

Rumo ao SMS gratuito

blogamos no início do ano sobre o crescimento do WhatsApp, aplicativo para enviar SMS gratuitos bastante popular, que registrou mais de 18 bi de mensagens no inicio do ano.

Mas agora ganhou um concorrente de peso o WeChat, que afirma ter chegado a marca de 100 milhões de usuários e o serviço já figura entre os mais populares da AppStore, mas está disponível para todas plataformas.

A empresa chinesa Tencent, afirma que a campanha publicitária estrelada por Lionel Messi e a versão 5.0 que caiu no gosto popular, alavancou o aplicativo.

Há alguns diferenciais interessantes:  o recurso “buscar pessoas”, mostra uma lista dos usuários mais próximos com os quais você pode dialogar, sendo possível filtrar a busca por sexo, tem função semelhante à de um Walkie Talkie para duas pessoas conversarem, sendo possível também chat com vídeo, e tem quase todos recursos do WhatsApp.

Como desvantagens: o esquema para ativar a conversa no PC é meio complicado e exige leitura de QR Codes, tem figurinhas parecidas ao Facebook, mas os pacotes custam R$ 1,00; e,  o principal é claro o número de usuários pois ainda é pouco popular no Brasil, 100 milhões no mundo, para uma rede ainda é pouco.