RSS
 

Arquivo para agosto, 2014

Adolescente cria software anti cyberbullying

29 Ago

Trisha Prabh de 15 anos é finalista de um concurso de software em uma Feira de Ciências dos Estados Unidos,Trisha seu software Rething (Repense) ajuda evitar o cyberbullying.

O conceito por trás do programa é criar um alerta, em especial para os adolescentes sobre o conteúdo ofensivo das mensagens que eles ainda estão digitando para postar, o ambiente é ajudado pela descoberta científica que uma parte do cérebro controla as decisões e ajuda a pensar antes de agir quando ainda não temos a mente totalmente formada, que seria aos 15 anos.

Assim, o Rething é uma espécie de “anjo bom”,  que diz na mente do adolescente para postar aquela mensagem deve saber que ela pode ser ruim para algumas pessoas.

O conceito é interessante: o programa alerta os adolescentes sobre o conteúdo ofensivo Assim, o Rethink funciona como um “anjinho bom” que sussurra nos ouvidos dos jovens que postar aquela mensagem pode não ser boa ideia.

Ela desenvolveu de modo bem interessante, trabalhando com dois softwares, um mostra as mensagens ofensivas já postadas e outro aos que respondiam sim exibia uma mensagem de alerta com os dizeres: “essa mensagem pode ser ofensiva aos outros, você gostaria de parar, revisar e repensar antes de postar?”.

Entre os usuários do Rethink, 93% desistiram de postar as mensagens quando receberam o alerta para repensar

Rethink (Repense) é um dos 15 projetos finalistas da Feira de Ciências e o vencedor deverá ser anunciado em setembro, Trisha é forte concorrente.

 

5 celulares para o brasileiro

28 Ago

Em dois dias, alguns amigos me pediram dicas de smartphones, então percebi que era hora de ajudarMoto Nokia com dicas quem quer pagar entre R$ 400,00 a R$ 700,00 que com um pouco de aperto cabe no bolso do brasileiro, com a ascenção da famigerada classe C

Então vai lá, tem conquistado o bolso e o gosto de muitos brasileiros três modelos nesta faixa, ganha (mas eu não indicaria estes) o Galaxy (Ace e Y, e outros modelos similares), depois logo na cola vem o LG, não há preocupação em oferecer atualização de software, e muitos modelos ainda estão usando a versão vencida Android 2.3 (Gingerbread), tive um troquei e fui para o Moto G, que foi o segundo lançamento desde que a Motorola Mobile foi comprada pela Google, o primeiro foi o Moto X.

A Nokia fez um trabalho muito bom de mercado com o Lumia 520, mas escondeu as limitações de hardware e trabalho com um preço competitivo de R$ 500 na época do lançamento, adquirida pela Microsof, já que o Windows Phone não decolou embora tenha impactado até a venda de iPhones no início, agora lança o Lumia 530 num preço competitivo de R$ 400, mas as promoções podem levar a baixo, se alguém tem esta opção lumia, recomendo o Lumia 530, pelo valor de R$ 600, com um pouco mais de qualidade.

Quando apareceu no mercado o Moto X, o preço acima de R$ 1.000,00 era salgado para o brasileiro, então logo em seguida chegou conquistando o mercado o Moto G, na faixa de R$ 600,00 e agora o Moto E na faixa de R$ 500,00 para se consolidar no mercado, todos com as vantagens de atualização do Android para a última versão.

O LG chegou competindo com o custo sempre numa faixa abaixo dos outros, por volta de R$ 400,00 mas com uma telinha de 3.2 polegadas, que dá uma experiência de usuário muito ruim, os celulares maiores já se estabilizaram na faixa de 6 polegadas, ou seja, praticamente o dobro, há também o Samsung mini numa faixa mais baixa (cerca de 300 reais), e o LG Optimus G Pro mais caro, acima de mil reais.

 

Seu notebook HP em risco

27 Ago

E não é pequeno, os notebooks HP vendidos entre 2010 e 2011 no país tem risco de pegar fogo e a empresa está fazendo recall, acredita-se que tenha vendido em torno de 6500 notebooks no período, no Brasil.

Então serão trocando 6.500 cabos de energia destes estas unidades, já  apresentaram problemas em outros mercados, onde houveram casos de derreter ou queimar.

A campanha começou ontem (25/08) e o cabo de energia tem a sigla LS-15 n as marcas HP e Compaq nos modelos chamados “docking stations”, que tem acessórios que permitem acoplar periféricos, como mouse a um computador móvel.CableHÇ

Caso possua o modelo você pode consultar o site da empresa para o recall, e a HP em comunicado se desculpou dos seus consumidores, disse a nota: “A HP pede desculpas por qualquer inconveniente que o programa possa ter causado e reforça que a segurança de seus clientes é prioridade para a companhia”.

Houveram 29 relatos de cabos que derreteram ou queimaram, conforme a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos Estados Unidos, e o número de cabos que serão feitos recall podem chegar 6 milhões conforme notícia veiculada pela agência Reuters.

 

Documentário mostra ações sociais com tecnologia

26 Ago

O documentário “”Histórias de quem usa a tecnologia para melhorar o Brasil”, será lançado em durante o Seminário do grupoDocumentário de ações Social Good Brasil, nos dias 5 e 6 de novembro, em Florianópolis (SC).

O documentário mostra a história de operadores e beneficiários de diversos projetos que com uso da tecnologia pretendem tornar o Brasil um lugar melhor para se viver, e auxiliar idealizadores, voluntários e apoiadores de ações com uso de tecnologia.

 

O grupo Social Good Brasil, através de parecidas com diversas empresas, tem desenvolvido e/ou financiado diversas ações sociais com uso de tecnologia, fundindo em 2010 três grupos de ações voluntárias: o Instituto Voluntários em Ação (IVA), que gerencia o Portal Voluntários Online (VOL), e o Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICom).

As diversas reportagens na mídia que aparecem, podem ser destacadas:

– o Banco Comunitário Maricá, que tem como objetivo reduzir a pobreza na região por meio da moeda social, um cartão eletrônico que pode ser usado nos estabelecimentos comerciais parceiros;
– o negócio social Conexão Pais e Filhos, que confere mais autonomia, criatividade e cooperação a mães, pais, avós e cuidadores nas suas relações com as crianças;
– a plataforma Meu Rio, que mobiliza cidadãos cariocas para buscarem juntos soluções para os problemas da cidade, e
– a ONG Teto Brasil, que usa as mídias sociais para mobilizar voluntários em mutirões de construção de casas de emergência.

A fase atual do documentário é de edição, e tem 52 minutos, com gravações geradas nos estados de Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Realidade virtual pode trabalhar o passado

25 Ago

O artigo saiu na revista Frontiers in Psychology , mas já há casos práticos em que este meroPsyVirtual estudo exploratório poderá ser usado, como em causas em que há traumas de situações de crimes ou situações de forte tensão.

Neste estudo o passado seria mutável, é claro que não o mudaria, mas retiraria parte das impressões que são associadas a um situação ou cena de um crime, por exemplo, segundo a co-autora Mel Slater do University College of London, feito em cooperação com o trabalho com o Instituto de Pesquisa Catalão, da Espanha.

Mel Slater explicou que ” “quanto mais os participantes sentiram a ilusão, maior o senso de sua própria moralidade”, o que significa que as pessoas associam fortemente as sensações com sua presença no virtual, o que ajudaria a superar traumas..

No cérebro há na maioria das vezes coisas quase imperceptíveis entre o que é real e o que não é assim “ se eles tiveram uma experiência com a ilusão de uma viagem no tempo, não há aprendizagem implícita de que o passado é mutável”, ou seja” afirmou a pesquisadora, “as minhas próprias decisões passadas não importa, porque elas são mutáveis”, ao menos como registro cerebral.

Talvez os pesquisadores não associaram a filosofia, mas disto trata a experiência fenomenológica, ou seja, que o sujeito não está separado do objeto, diria o seu fundador o filósofo Husserl, noesis é o ato de perceber enquanto noema é aquilo que é percebido.

 

Mudanças do usuário da Web

22 Ago

Em 2009 quando fui numa conferência em Skvöde, na Suécia, ouvi Brian Belendorf e-commerce Brasil(então presidente da fundação Apache) dizer que os vídeos iam dominar a partir de 2015.

Ele estava certo, isto se os dados de Fábio Coelho, presidente da Google Brasil, em rodada de palestras nesta última quarta-feira (20/08) estiver certo, ele afirmou:  “A gente tem um usuário cada vez mais transformado pela tecnologia. E temos um país mudando”, falando para profissionais da área de varejo e profissionais de agências de marketing, e completou:  “Quando a gente fala de mídia, falamos de vídeo. Nunca se viu tanto vídeo como se vê hoje”.

Outra executiva da gigante de buscas, Maria Helena Marinho, vê mudanças no uso simultâneo de dispositivos, a multitela como ela chamou (tablet, smartphone e TV ) e conforme seu dados ela já é usada por 40 milhões de brasileiros, dos quais 30% deles usam mais de um dispositivo móvel para concluir a compra.

Também há um crescimento na faixa economia onde 54% dos internautas brasileiros são da Classe C, segundo dados da diretora de Marketing da empresa Maria Helena Marinho: “O brasileiro está hiper conectado, ele tem hiper mobilidade e consome hiper informação. Ele está hiper entretido” e esperamos que nas eleições esteja também hiper-politizado.

O gerente de campo do site Mercado Livre, Helissom Lemos, disse que as mudanças são positivas, em especial com as novas formas de dispositivo móveis. “Hoje, cerca de 30% dos nossos usuários de nossa plataforma vem de dispositivos móveis”.

Mas o varejista ainda desconfia da internet, segundo Leo Cid Ferreira, da Ad.Dialeto há um “problema de cultura” quando o assunto é a relação entre varejo e internet.

 

23a. Bienal do livro será multicultural

21 Ago

Será realizada no pavilhão de Exposições do Anhembi, de 22 e 31 de agosto a 23ª. Bienal do lIvro, bienalque não será mais “só uma feira de livros” e deverá ser “um momento multicultural”, conforme afirmação da presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Karine Pansa.

Com a promessa de atividades que irão da gastronomia ao rap, passando por música, teatro e dança o evento, com o tema geral “Diversão, cultura e interatividade: Tudo junto e misturado”.

Como espera-se uma capacidade média de público de 100 mil pessoas, a expectativa dos organizadores é ter um total final de 700 mil visitantes no total de dias do evento.

Segundo entrevista da presidente da CBL na coletiva de quinta-feira passada (14/08), o investimento total foi de R$ 34 milhões, sendo R$ 4,8 milhões captados via Lei Rouanet, e serão 350 expositores, representando 750 selos.

Participaram também da entrevista coletiva: o chef André Boccato, o curador do Sesc Francis Manzoni, além da curadora da CBL Cristina Lira, o Sesc será curador de 5 eventos culturais e a CBL de outros três.

 

Mais brasileiros campeões

20 Ago

Em uma nova conquista, o Brasil obteve na Olimpíada Internacional de Astronomia OlimpiadasAstronomiae Astrofísica, IOAA é a sigla em inglês), na cidade de Suceava na Romênia, cinco medalhas de prata para o país, no ano passado em Vólos, na Grécia, foram duas de prata e três de bronze.

Os brasileiros obtiveram ainda, nas provas individuais, duas medalhas de bronze e três menções honrosas.

Um dos ganhadores, Felipe Vieira Coimbra, de 16 anos, é aluno do segundo ano do Instituto Dom Barreto, em Teresina (PI)..

São estudantes do ensino médio, fizeram treinamento em grupos de estudos, oficinas de atividades e observação do céu, com instrumentos e a olho nu, e tiveram a disposição para treinamento o planetário móvel da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), e puderam estudar as constelações do hemisfério Norte fazendo suas projeções.

Os jovens retornaram ao Brasil na quinta-feira, 14, no Brasil, após viagem de 30 horas, o coordenador de Educação em Ciências do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), do Rio de janeiro, Eugenio Reis declarou:  “Essa competição tem nível muito elevado, e os alunos brasileiros se destacaram”, conforme o site do jornal on-line O Povo.

Participaram do evento 208 estudantes, de 39 países, o ganhador do outro foi para o Canadá e o bronze ficou com a Lituânia.

 

Limites reais da Lei de Moore

19 Ago

Quando milhares de transistores começaram a ser colocados dentro de pastilhas microscópicas dos chips, e a microcomputaçãoNewLeiMoore nascia na década de 70, um engenheiro da Intel Gordon Moore formulou uma lei segundo a qual a cada dois anos o dobro de transistores eram colocados numa micro área das pastilhas de silício, e isto fez a velocidade e a capacidade dos microprocessadores chegarem aos bilhões de “transistores” por área (na casa dos 22 nm nanômetro), além de aumentar a velocidade hoje na casa dos GHz  (GigaHertz)

Porém este é o limite do silício, por sua capacidade atômica e por isto temos que usar os “fans” (ventiladores) porque para o processamento, a velocidade e a área usada está “fritando” os chips que devem ser resfriados, mas o professor Igor Markov, publicou um artigo na revista Nature que explica melhor este fenômeno dos chips atuais.

Os engenheiros estão preocupados com o limite da Lei de Moore que está prestes a ser alcançado como a densidade de transistor se aproxima da escala atômica, mas Markov diz que há muitos fatores envolvidos além de tamanho e há maneiras de obter maior poder de computação além de escala, dizendo que há um problema de “eficiência energética”.

Markov argumenta ainda há inúmeros ganhos a serem feitos nesta área e novos materiais, tais como transistores de nanotubos de carbono, que poderiam  ajudar a ter uma grande economia de energia que, por sua vez permitem maior poder computacional, em área que chegaria a 10nm.

Outra possibilidade já conhecida é a de explorar modelos naturais, tais como o cérebro humano, que é fundamentalmente diferente dos sistemas de computador existente tanto em termos de estrutura e funcionamento.

Mas Markov sabe que existem alguns limites físicos duros, estes  limites são conhecidos como o comprimento de onda de Planck e o limite Berkenstein, que ainda não são  o suficiente para que eles possam afetar computação, tanto quanto alguns suspeitam.

 

Repensando os computadores

18 Ago

A tecnologia de silício aparentemente chegou no seu limite, anunciamos em nosso último post um chipNewChips que tenta imitar as sinapses cerebrais, mas que depende de uma nova programação para efetivamente funcionar.

A HP já anunciou o esforço para repensar as tecnologias de computação, computação quântica e cognitiva parecem ser os novos enfoques, mas há pouca coisa realmente funcional e que esteja pronta para ir para o mercado.

Agora a IBM anunciou investimentos da ordem 3 milhões de dólares em projetos que querem repensar o modelo dos supercomputadores atuais, e o vice-presidente de Sistemas e Tecnologia da IBM, Tom Rosamilia, declarou a ComputerWorld, que a curto prazo são os processadores gráficos de alta performance que podem melhorar o desempenho dos computadores, mas a longo prazo “temos outros pontos que podem dar saltos passando de uma tecnologia para outra”, que significa materiais, arquiteturas e programação inteiramente novas, que significa misturar e combinar tecnologias novas propostas.

Os novos modelos significam que será necessário pensar programas e sistemas muito antes que as arquiteturas surjam, e a lei de Gordon Moore que dizia que o número de transistores dobraria a cada dois anos e enquanto isto foi verdade para o silício, não foi preciso mudar o modo de processar e de programar, agora os novos chips em sistemas totalmente novos podem exigir programação antecipada, para que quando surjam tenham algumas funcionalidades já operacionais.