Warning: Declaration of wp_option_choose_color_scheme::render() should be compatible with wp_option::render($field_html, $colspan = false) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/themes/chocotheme/lib/theme-options/choose-color-scheme.php on line 39

Warning: Use of undefined constant wp_cumulus_widget - assumed 'wp_cumulus_widget' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/marcosmucheroni/www/blog/wp-content/plugins/wp-cumulus/wp-cumulus.php on line 375
10 « julho « 2015 « Blog Marcos L. Mucheroni Filosofia, Noosfera e cibercultura
RSS
 

Arquivo para julho 10th, 2015

Alzheimer espiritual, o que é ?Spiritual Alzheimer’s, what is it?

10 jul

O papa em passagem pelo Equador deixou de lado o discurso que tinha PopeEcuadorpreparado e convidou os “religiosos” a deixarem de lado este Alzheimer espiritual, mas o que é isto.  

Já no ano passado havia se referido a várias doenças, mas duas me chamaram a atenção para várias pessoas “que se achavam imortais, imunes e indispensáveis” ele afirmou “isto deriva da patologia do poder, do complexo de sentir-se um eleito e do narcisismo”.  

Outra doença de uma lista de 15 males e se referia da Cúria é o ‘excessivo trabalho’ e com ele o ‘endurecimento mental e espiritual’, que “impede chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram”; “o excessivo planejamento” e “a doença da má colaboração” em um mundo que fala agora de colaboração, os religiosos não sabem o que é isto, fruto da primeira doença querem apenas “mandar” e “seguidores”.  

O Alzheimer que o papa falou é sobre as nossas raízes sociais e culturais, que uma vez que progredimos socialmente nós esquecemos, disse textualmente: “é muito triste quando a pessoa vê um sacerdote (…) que em sua casa falava o dialeto ou falava outra língua – uma destas nobres línguas antigas que os povos têm – e se esquecem da língua. É muito triste quando não querem falar esta língua, isso significa que se esqueceu de onde vieram”, mas isto vale para intelectuais e pessoas do povo que esquecem a origem.   Mas há um Alzheimer filosófico e teológico, no século IV a conversão de Agostinho de Hipona, foi deixar o maniqueísmo da luta do bem contra o mal, para aderir a vivência e do testemunho do bem, que significa jamais ter Alzheimer espiritual.  

Também Tomás de Aquino que afirmou que a fé é um suplemento da razão, e não a exclui parece esquecida dos que padecem de Alzheimer fideísta e transcendente, mas cuidado fazer política equivocada pode ser uma das manifestações deste mal.  

Por último queria lembrar apenas o Mandamento Novo de Jesus, “eu vos dou um NOVO mandamento” amai-vos como eu voz amei” (Mt 22:39), mas que o outro seria assim ou assado, este é um Alzheimer crônico, amar só os que nos amam, diz a palavra “Não fazem isto também os pagãos?” (Mt 5,47).   O pão precisa de fermento e sal, mas se for muito fica ruim também.