RSS
 

Existe ainda o espírito do Natal ?

20 Dez

Em essência o Natal existe, pois um fato antes de mais nada históricoaF1large aconteceu, nasceu uma criança especial em Belém, está registrado na história porque o imperador romano Cesar Augusto na época resolveu fazer um recenciamento, então este nascido foi registrado e de fato aconteceu.

Este espírito é reservado a pessoas mais religiosas, e mesmo entre estas algumas não gostam do Natal, claro que Papai Noel é apenas a alusão a uma marca de bebida famosa, não é disto que estamos falando, mas o desejo de solidariedade, de amor entre os homens, ele existe ?

Um estudo científico, publicado no British Medical Journal, pesquisou vinte pessoas, que vivem numa área de Copenhagen (Dinamarca), e que foram divididos em dois grupos: dez que tradicionalmente celebram o Natal e outros que não comemoram.

Cada um deles foi observado neste período, em alusão aos símbolos que está no post anterior, mas não só estes, foram colocadas 84 imagens por 2 segundos cada: após 6 disparos consecutivos temáticos sobre o Natal foram colocados 6 da vida cotidiana (ruas, comidas, etc.).

Os investigadores utilizaram a ressonância magnética funcional (partes do cérebro onde estão determinadas emoções), vendo alterações na oxigenação no sangue e fluxo que ocorrem no cérebro em resposta as atividades neuronais existentes em cada grupo.

Foi então produzido mapas mostrando quais áreas do cérebro estão mais envolvidos durante um processo mental particular e o resultado foi bem interessante.

A respostas ao questionário, feito sobre suas tradições de Natal, os sentimentos de Natal e sua etnia. Esta análise identificou cinco áreas que tiveram uma maior ativação na festa de Natal em face de imagens temáticas.

O artigo explica que “este é o motor primário e córtex pré-motor, o lobo inferior direito e parietal superior e bilaterare córtex somatossensorial primário esquerdo”, afirma a pesquisa.

Estes são as áreas associadas entre outras coisas como a espiritualidade e o romantismo, mais que isto então pode-se dizer que existem ‘áreas do cérebro de Natal’, enfim o Natal existe.

A pesquisa foi feita no Natal de 2015, pelo British Medical Journal .

 
 

Comentários estão fechados.