RSS
 

Black Mirror: é a bandersnatch experiência ?

29 Dez

A espectativa de lançamento do filme-evento, na verdade uma falsa iteratividade para o público pois há somente 5 finais possíveis de desfecho para Stefan, o personagem principal.
Voltemos atrás, a série Black Mirror para TV, produzida por Charlie Brooker em 2011 para a TV britânica tem lances obscuros, desconfiados e até satíricos com as novas tecnologias e para os que sabem a origem dos problemas da modernidade, pouco mergulha a fundo na sua crise.
A Netflix comprou a série e a dividiu em 12 capítulos, assisti pedaços o suficiente para ver o lado obscuro e pessimista das novas tecnologias, afinal elas ligaram o mundo e mesmo os críticos não abrem mão de celulares e de aplicativos importantes para a sociedade ubíqua.
Voltando ao filme, foi lançado ontem na Netflix e tem 5 finais possíveis para o personagem principal Stefan que a certa altura confunde a realidade e a irrealidade (virtual é outra coisa).
Os possíveis finais para o filme lançado ontem são: o mais realista é que Stefan descobre que o PAC (Program and Control) é um programa feito pelo pai que o usa desde a infância, e assim é monitorado por seu pai e sua terapeuta o tempo todo, é possível isto sem PAC algum.
O segundo final “interativo” ele descobre que foi a morte de sua mãe na infância, em um acidente que o trem se descarrilhou e que ele não foi por ter esquecido seu coelho de pelúcia e com isto ter perdido o trem, o coelho tinha sido escondido pelo pai, possível porém e o PAC?
O terceiro final possível o pai de Stefan morre, mas ao invés de enterrá-lo, escolha decide cortá-lo em pedaços, o jovem consegue escapar das acusões e termina o jogo Bandersnatch, bizarro e improvável.
No quarto final Stefan grita que alguém está o controlando, pode surgir na tela de alguns usuários o logo da Netflix (sic puro merchandising), ao escolher o computador de Stefan começa a explicar o que é a Netflix e há quase uma quebra de uma quarta parede, quem está assistindo diz que está controlando Stefan, é um passar a bola para o público.
Seguindo mais ou menos os mesmos passos anteriores, Stefan ao invés de lutar com o terapeuta, escolhe pular da janela, mas no final Stefan é um ator e recebe os créditos disto.
Dizem que há outros finais, mas a falácia é que o mundo das novas tecnologias seria uma forma de controle, ora bolas Nietzsche já reclamava do controle da sociedade muitos antes do cinema, da TV e das novas mídias, o big brother é o estado e o jogo de interesse que joga.

 

Comentários estão fechados.