RSS
 

Posts Tagged ‘vírus’

O nome Jesus não é boa senha

25 Oct

O lista está no site SplashData e diz quais são as senhas mais comuns usadas na internet e facilmente encontradas pelos hackers pelo quanto são óbvias, o motivo nos EUA é que se aproxima o dia das malvadezas que é o Dia das Bruxas, que alguém incorporou no Brasil.

Segundo o site PRWeb a pesquisa traz as seguintes palavras pela ordem (entre parêntesis algumas que são sugestões não modificadas): 1. password (Não modificada), 2, 123456 (Não modificada), 3. 12345678 (Não modificada), 4. abc123 (Up 1), 5. qwerty (Down 1), 6. monkey (Unchanged) , 7. letmein (Up 1), 8. dragon (Up 2), 9. 111111 (Up 3), 10. baseball (Up 1), 11. iloveyou (Up 2), 12. trustno1 (Down 3), 13. 1234567 (Down 6), 14. sunshine (Up 1), 15. master (Down 1), 16. 123123 (Up 4),17. welcome (New), 18. shadow (Up 1), 19. ashley (Down 3), 20. football (Up 5), 21. jesus (New), 22. michael (Up 2), 23. ninja ; embora Jesus apareça só em 21o. é importante notar pois não é óbvio.

Vale, portanto dizer que não é seu nome de Jesus que tem poder, mas suas atitudes talvez ajudem, não o usem como senha (nem como álibi).

É claro que o uso de qualquer equipamento, ou mesmo qualquer objeto exige uma boa relação com ele, ou seja, saber para o que serve, limitações de uso, condições de uso com segurança, etc. isto não é específico para internet (a rede eletrônica) ou a Web (um dos seus aplicativos) serve para todo objeto.

Como no ano passado, houve vários incidentes de alto nível com senhas em sites importantes como o Yahoo, LinkedIn, eHarmony e Last.fm, é importante observar estas coisas, tomar atitudes de cuidado e restrições em ambientes de redes sociais e ter atitudes de respeito e diálogo também nas redes sociais, e no final, algumas atitudes de boa índole ajudam a “salvar”.

 

Cibercrime volumoso no Brasil

02 Oct

De acordo com a empresa de segurança Kaspersky, em notícia veiculada pelo Softpedia, 4 milhões e meio de modems foram controlados por harckers no Brasil, quando as visitas queriam visitar o Google ou o Facebook, por exemplo, mensagens pop-up pediam instalação de aplicações, mas eram vírus para capturar as senhas dos modems.

Após capturar as senhas, as configurações de DNS (o endereço de internet do usuário) os hackers alteravam estas configurações e permitiam capturar todas as senhas do usuário.

O trabalho foi apresentado por um analista da empresa de segurança Kaspersky na conferência Virus Bulletin, realizada nos Estados Unidos na semana passada, e o número é realmente incrível.

A pesquisa revelou que além de usuários domésticos, clientes corporativos e empresas públicas foram afetadas, e o objetivo dos hackers eram aparentemente capturar dados confidenciais.

A notícia do Softpedia esclarece que há dois tipos de culpas por esta situação, as empresas que “emprestam” ISP sem a necessária segurança para instalação de Modems, e a ANATEL que deveria testar melhor os Modems antes de aprová-los.

 

Cibercrime de 78 bilhões de dolares

28 Jun

As notícias indicam que os ladrões usaram dois softwares avançados de instalação de vírus em computadores (Zeus e SpyEye) e executaram a ação em 60 bancos de 3 continentes.

Segundo o site FoxNews, os ataques ocorreram na Itália, Colômbia, Alemanha, Inglaterra, Holanda e Estados Unidos.

Embora as versões de antivírus fossem eficientes para versões anteriores destes vírus, as versões atuais capturam qualquer login em bancos e fazem automaticamente a transferência de fundos da pessoa que está logada (conectada) ao banco fazendo alguma operação, para contas espalhadas pelo mundo que são de cúmplices dos ladrões cibernéticos.

A notícia foi divulgada na terça feira pelas empresas de segurança McAfee e Guardian Analytics, mas a empresa japonesa Trend Micro já estava pesquisando os roubos semana passada.

Segundo o diretor de pesquisa da McAfee Dave Marcus: “Algum dos desenvolvedores desse sistema dispõe de conhecimento especializado quanto aos sistemas dos bancos”, indicando que o vírus é sofisticado, pessoalmente nunca fiz operações bancárias em micros.