RSS
 

Posts Tagged ‘Software livre’

Software livre RedHat cresce

03 Abr

RedHat é uma empresa de origem americana que desenvolve diversos programas junto ao RedHatnúcleo (kernel) do sistema operacional Linux, que é um software livre, que significa que o código é aberto e pode ser usado por qualquer programador para fazer um novo programa.

 

Este ambiente existe desde 1993 e oferece soluções open source, isto é o software também deve ser de código livre, gerando um mercado em rede onde todos podem participar.

 

A empresa gerou um lucro de  1,53 bilhões de dólares no ano passado, e só no primeiro trimestre deste ano teve um aumento de 15% em relação ao mesmo período de 2013, gerando um volume de negócios de 400 milhões de dólares.

 

Pode-se consulta o site brasileiro que tem a base para serviços RedHat, ou consultar o site de documentação.

 

Geeksphone a venda, para os geeks

24 Abr

O Geeksphone como é chamado o smartphone da Firefox em parceria com a Telefonica (veja nosso post) já está a venda, mas justamente na Espanha já acusa “fora de estoque”.

Também os desenvolvedores (o Firefox é um software livre e isto chama a atenção dos geeks, desenvolvedores) ficaram decepcionados, tanto o Keon como Peak apareceriam ontem na varejista do Geeksphone também como “fora de estoque”.

No início do dia Peak ainda aparecia, enquanto o Keon foi endido mais rapidamente ao preço de US $ 119, o modelo tem uma tela de 480×320 pixels sendo 3,5 polegadas.

Por US $ 195, o Peak oferece uma tela multitouch 960×540-pixel de 4,3 polegadas, sendo um pouco mais confortável para usuários e desenvolvedores.

Na verdade os dois modelos não são para usuários comuns, isto é não desenvolvedores, os geeks precisam destes modelos de trabalho para testar seus aplicativos para o sistema operacional móvel da Mozilla.

Os futuros smartphones da Firefox deverão ser produzidos por empresas como a ZTE, Alcatel, LG Electronics, Huawei e até a Sony tá de olho, tendo previsão de lançamento no próximo ano.

O mundo open-source de desenvolvedores por crowdsourcing aguardam ansiosamente.

 

Como vai o software livre ?

02 Mar

Três das plataformas de software livre servem para ver como vão os projetos, destes que são para muitas pessoas (Klay Shirky, por exemplo), uma nova perspectiva para a economia e a produção mundial.

O mais antigo e mais conhecidos é o SourceForge que tem mais de 324.000 projetos, embora são muito utilizados por desenvolvedores independentes, tem softwares convencionais como um dos mais antigos software livre o GNU e o banco de dados postgreSQL.

Atualmente GitHub e Ohloh são mais usados e conhecidos, porque usam conceitos mais atuais como versionamento e serviços Web.

GitHub é um serviço de hospedagem web compartilhado por milhares de projetos que usam um controle de versionamento que na gíria computacional é chamado Git. Foi escrito na linguagem moderna de Web Ruby on Rails, e seus principais desenvolvedores foram Chris Wanstrath, PJ Hyett e Tom Preston – Wernder da Logical Awesome, conta atualmente com 4.751.000 repositórios, que armazenam os mais diversos projetos.

Este site possui funcionalidades de uma rede social como feeds, seguidores, wikis e um gráfico que mostra como os desenvolvedores trabalham as versões nos repositórios, a rede social Diáspora, o próprio Linux e sua própria linguagem que é o Ruby on Rails estão hospedados aí.

Ohloh é um site que oferece um conjunto de serviços web e plataforma de comunidade on-line que tem como objetivo mapear a paisagem de desenvolvimento de software livre. Foi fundada pelos ex-gestores da Microsoft, Jason Allen e Collison Scott em 2004, que depois justaram-se ao desenvolvedor Luckey Robin .

Em 28 de maio de 2009, foi adquirida pela Ohloh Geeknet, proprietários da popular plataforma de desenvolvimento open source SourceForge, mais tarde vendida a Geeknet Ohloh à Black Duck Software (ou Pato Negro, ou ainda Patinho Feio para entendermos), que a mantém hoje.

A um ano atrás em 22 de fevereiro de 2012, o site listava 540.925 projetos, hoje já ultrapassa os 550.00 projetos, tendo projetos fundamentais como Firefox, PHP, Apache, Mysql, etc.

 

Novo software 3D gratuito

17 Out

O programa ainda pouco conhecido Mitsuba, de código aberto e gratuito, que faz renderização (preenchimento de figuras em 3D) poderá tornar-se mais popular agora.

Uma nova versão feita por pesquisadores da Universidade de Cornell, já usado por pesquisadores de computação gráfica, um desenvolvedor do novo ambiente, o estudante de PhD Wenzel Jakob, afirmou para o site da Universidade que: “O objetivo do meu projeto é a criação de software de ponta que faz com que seja muito mais fácil”.

A nova versão oferece além de uma interface de utilizador melhorada incorporam os avanços matemáticos usados para acelerar o processamento e aumentar o realismo.

Jakob observa nos estudos universitários há unidades de realismo que tem trazido muitos desenvolvimentos, mas estes são incorporados muito lentamente seu caminho em software comercial, afirmou o pesquisador: “O que é realmente novo é que Mitsuba implementa um grupo de algoritmos de renderização que tradicionalmente são muito complicados”.

Ele dá como exemplo um algoritmo de iluminação chamado de transporte Metropolis, que administra o complexo comportamento da luz que viaja através de materiais brilhantes como metal escovado ou vidro e que pode ser visto no efeito de realismo nas ilutrações acima.

 

Software Livre pode avançar no país

30 Jul

É o que pensa o coordenador da Associação Software Livre.Org (ASL), Ricardo Fritsch, para quem as empresas nacionais devem ter incentivos para produzir software livres, que declarou no 13º. Fórum Internacional de software Livre (fisl13), que se realizou em Porto Alegre de quinta-feira a sábado da semana passada.

Conforme afirmou Fritsch, integrante do comitê organizador do FISL13: “atualmente o Brasil paga para outros países royalties de forma desnecessária”, disse no fórum que contou com mais de 8 mil participantes.

Fritsch defendeu a criação de política governamental para financiamentos de pequenas e médias empresas de tecnologia de informação, que também afirmou que leis e propostas públicas podem também incentivar o uso de software livre.

Ao compartilhar os códigos livres, que toda empresa pode usar sem ter que pagar para uso, as empresas viabilizam e dão visibilidade aos negócios, Fritsch citou o exemplo do Portal do Software Público Brasileiro, criado em 2007 para compartilhar programas de interesse público que já ajudou inúmeras empresas a prestarem serviços e fazerem novos sócios.

 

Richard Stallman na USP

25 Mai

Richard Stallman (1953- ) é fundador do movimento software livre e do projeto GNU, e que mais tarde tornou-se a Free Sofware Foundation (FSF) (Fundação para o Software livre), que criou o circulo virtuoso a partir do qual quem usa um software livre deve manter o software construído também livre, o que permite a colaboração e o compartilhamento de milhares de software em código aberto pelo mundo, a chamada GPL (GNU Public License), que é a consolidação do conceito de copyleft, em função do conceito de copyright.

As ações judiciais, as tentativas de leis que querem acabar com o compartilhamento não conseguem limitar o enorme número de usuários que usam sua liberdade de doar e seu desejo de dividir com outras pessoas as coisas que usam e criam.

A PC World dá uma grande lista de software e ambientes livres , como Better Propaganda, onde poderão ser explorados o compartilhamento de músicas e filmes.

Há um grande número de e-books gratuitos em diversos sites, destacamos aqui o histórico site do Projeto Gutenberg, o Scribd (onde tenho um capítulo de um e-book de Portugal) e a biblioteca do Consciência.org .

 

Alternativas a Ning

01 Mai

Existem as plaformas de redes já conhecidas (mais para relacionamentos): Leia o resto deste post »

 

Software livre se consolida nas ILS

21 Mar

Pioneer Library System escolheu Evergreen como sua próxima geração de Sistema Integrado de Bibliotecas Leia o resto deste post »